Seguro

domingo, 11 de outubro de 2015

PARIS, LONDRES OU AMSTERDAM: QUAL A MAIS ACESSÍVEL PARA OS IDOSOS E CADEIRANTES ?

Amsterdam é a cidade mais preparada para receber idosos.
Viajar em família é uma delícia, mas requer cuidados especiais principalmente quando há idosos no grupo. Muitas escadas e poucos elevadores, calçadas irregulares e raros banheiros públicos são alguns problemas que você irá encontrar ao viajar para essas 3 cidades européias.

Dessas 3 grandes cidades, a mais preparada para receber a galera da terceira idade é, com certeza, Amsterdam. Resolvi fazer um apanhado das dificuldades encontradas em cada uma delas. Vamos lá.

Paris

Embora a cidade seja linda e uma das mais visitadas da Europa, nem sempre é adequada para receber
Torre Eiffel: escadas antes do
elevador para subir.
idosos. Há diversos pontos a serem observados, entre eles, a topografia. Subidas e descidas pesadas somadas à pisos de pedras: eis uma combinação perigosa para os mais idosos.

O bairro de Montmartre é um bom exemplo. O que salva ali é o funiculare, um pequeno bonde que faz o trajeto até a Catedral de Sacreau Creux. No restante, é cansativo e complicado os mais velhinhos passearem a pé por ali. Tem que ter "perna boa" como diz a minha mãe.

A falta de elevadores para idosos e deficientes nas estações de metrô também é um problema muito sério. Isso sem contar os extensos corredores internos e escadarias. A dica é: vá de ônibus ou táxi.

Nos principais pontos turísticos como a Torre Eiffel, por exemplo, há elevadores. Mas, para acessá-los, você tem que subir algumas escadas. O mesmo acontece nas igrejas.

Quando o assunto é banheiro público, Paris é bem servido. As cabines automáticas localizadas nas praças e ruas da cidade dão conta do recado e conseguem atender a demanda.

Londres

Metrô londrino: extensos corredores, mas tem elevador
para idosos e cadeirantes nas principais estações.
Embora seja uma das principais cidades da Europa, Londres ainda peca na questão de acessibilidade.
Não são todas as estações de metrô que oferecem elevadores para idosos e cadeirantes, apenas as principais. As estações maiores e mais próximas das atrações turísticas são perfeitas nesse quesito. Há elevadores bem sinalizados, grandes e com saída diretamente para as ruas. As estações menores não oferecem esses recursos.

Outra questão importante a ser pensada ao utilizar o metrô de Londres é a dos extensos corredores que ligam uma linha à outra. A estação Green Park, por exemplo, tem elevadores sobrando mas o idoso terá que caminhar muito até chegar, por exemplo, na entrada do parque.

Uma outra atração que não é muito amiga dos idosos é o o Museu de Cera de Madame Tussaud.
Para acessar o elevador, o idoso tem que subir pelo menos uns 40 degraus. Depois de subir e começar a visita, ele terá que descer por escadas apertadas. Confesso que não descobri como os cadeirantes visitam esse local.

Amsterdam

Das 3 cidades visitadas, Amsterdam ganha de goleada quando o assunto é acessibilidade. As
Elevador para cadeirante em um prédio de Amsterdam.
facilidades começam pela topografia plana, pelas calçadas quase no nível das ruas e disponibilidade de elevadores em todas as estações de trem da cidade. Até mesmo os trans (uma espécie de metrô de superfície) são baixos e práticos para embarcar.

O acesso às estações de trem é um caso à parte: independente do tamanho e localização da estação, há sempre elevadores. Um bom exemplo é a estação da pequena cidade de Zaanse Schans, famosa pelos moinhos de vento. A estação é pequena e básica mas tem elevadores para descer da plataforma e outros para subir até o nível da rua. Até brinquei com a família dizendo que ali haviam mais elevadores do que trens.

Se sua intenção é viajar com parentes idosos, é importante se preocupar com diversos detalhes que irão facilitar a sua estadia. Localização dos hotéis e facilidades de acesso as atrações são itens que devem ser analisados com muito cuidado para evitar gastos e, principalmente dores de cabeça.