Seguro

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Confira Alguns Preços da Itália

Centro de Roma - Piazza Spagna
Sempre que a gente viaja, o que mais ajuntamos é papel. Eu, pelo menos, tenho o costume de guardar um monte deles (até hoje não sei porque..rs). Revirando as papeladas, achei alguns que podem interessar aos viajantes que querem ir para a Itália. 


Vamos aos preços na terra da bota:


- Bilhete de ônibus ou metrô em Roma - válido para 75 minutos: 1 euro
- Bilhete de vaporetto em Veneza válido por apenas 1 hora: 6 euros
- Entrada para o Museu do Vaticano: 15 euros
- Roma Pass - dá direito a 2 atrações turisticas em Roma e metrô e ônibus por 3 dias: 25 euros
- Bilhete de 90 minutos de trem/metrô em Napoles - 1,10 euros
- Bilhete ida/volta Napoles - Pompéia - 3,80 euros
- Bilhete de entrada para Pompéia - 12 euros
- Bilhete para o trem que liga o Aeroporto Fiumicino - Roma Termini - 11 euros
- Bilhete de metrô em Milão válido por 75 minutos - 1 euro
- Entrada para a Galleria dell' Accademia (Estátua de David) - 6,50 euros
- Entrada para ver a SANTA CEIA no Cenacolo Vinciano em Milão - 8 euros*
* tem que comprar pela internet e antecipado. www.vivaticket.it
- Passagem de trem Milão-Berna (Suiça) - 59 euros*
* fique ligado pq vc pode pegar umas promoções pela internet bem mais barato.
- Passagem de trem Florença-Pisa ida e volta - 11,40 euros
- Preço médio dos lanches frios - 4,50 euros
- Preço médio da garrafa de água - 1 euro
- Preço médio de um almoço completo em um restaurante no centro (bom nível) - 25 euros


Dica:
Se você é jornalista, professor ou trabalha com turismo, informe-se sobre as entradas gratuítas nos museus. Muitos liberam essas entradas na hora, basta apenas apresentar uma carteirinha da entidade profissional. 

O Que Pode Trazer na Bagagem ?

Recentemente, a Receita Federal soltou uma circular liberando alguns produtos da taxa de importação. O limite de isenção não foi alterado: US$ 500,00 para quem chega de avião ou navio e US$ 300,00 para quem chega de carro ou a pé (leia-se Foz de Iguaçu..rs).


Vou colocar um resumo do que pode e não pode:


São livres de impostos: 

livros, folhetos e periódicos; 
bens de uso ou consumo pessoal que o viajante possa necessitar para uso próprio; e 
bens nacionais ou nacionalizados que estejam retornando ao país.

IMPORTANTE: os bens de uso ou consumo pessoal isentos incluem apenas roupas, calçados, óculos, um relógio usado, uma máquina fotográfica usada, um telefone celular usado, por exemplo. Não são isentos notebooks e filmadoras.



Limites quantitativos

Para se ter direito à isenção de impostos para bens adquiridos no exterior e trazidos em bagagem acompanhada, o viajante deve observar quantitativos que variam de acordo com a via de transporte utilizada. 

Na via aérea ou marítima os limites são:

a) bebidas alcoólicas: 12 litros, no total; 
b) cigarros: 10 maços, no total, contendo, cada um, 20 unidades; 
c) charutos ou cigarrilhas: 25 unidades, no total; 
d) fumo: 250 gramas, no total; 
e) bens não relacionados nos itens “a” a “d” (souvenirs e pequenos presentes), de valor unitário inferior a US$ 10,00: 20 unidades, no total, desde que não haja mais do que 10 unidades idênticas4; e 
f) bens não relacionados nos itens “a” a “e”: 20 unidades, no total, desde que não haja mais do que 3 unidades idênticas.

Na via terrestre, fluvial ou lacustre os limites são: 

a) bebidas alcoólicas: 12 litros, no total; 
b) cigarros: 10 maços, no total, contendo, cada um, 20 unidades; 
c) charutos ou cigarrilhas: 25 unidades, no total; 
d) fumo: 250 gramas, no total; 
e) bens não relacionados nos itens “a” a “d” (souvenirs e pequenos presentes), de valor unitário inferior a US$ 5,00: 20 unidades, no total, desde que não haja mais do que 10 unidades idênticas; e 
f) bens não relacionados nos itens “a” a “e”: 10 unidades, no total, desde que não haja mais do que 3 unidades idênticas.

Qualquer dúvida e - se tiver paciência - entre no site www.receita.fazenda.gov.br

domingo, 24 de outubro de 2010

Afinal: o que é ? e por que mochileiro40tao ?

Em meados de 2009 coloquei como meta a realização de um sonho: viajar de mochila por várias cidades da Europa. Até então, não tinha selecionado qual país iria. Usei o "grande irmão" Google para fazer um levantamento médio de quanto gastaria nessa empreitada. Com uma idéia de valor na cabeça, comecei a me programar.
Nessas pesquisas, percebi que as informações sobre backpackers ou mochileiros, ficavam sempre restritas a jovens estudantes. Porém, um artigo num site australiano, em especial, me chamou a atenção porque mostrava como os "jovens" mais velhos viajavam por todos os lugares do mundo. Eram homens e mulheres que viajavam sem ficarem restritos a horários de excursões, grupos ou hotéis sofisticados. O texto reforçava que não se tratava de estudantes sem grana, mas de pessoas de alto nível, executivos, advogados, professores, enfim, pessoas que fugiam do estereótipo de mochileiros hippies e duros...rs
Iniciei a viagem no último dia de janeiro de 2010, peguei um avião da Alitalia e fui pra Itália, onde passei 17 dias andando por todo o país.
Desde o primeiro dia, postei várias passagens dessa viagem, todas direcionadas aos viajantes mais velhos que buscam uma alternativa divertida, barata e prática de viajar. Digo sempre aos amigos: em vez de mandar seus filhos para mochilar, aproveite e vá junto !
Pois bem esse é o objetivo do projeto MOCHILEIRO40TAO: mostrar a um publico adulto que a viagem de mochila pode ser feita por qualquer um, independente da idade. E parece que acertei em cheio nesse foco, uma vez que o mercado de viagens ao exterior está muito aquecido e, esse, pode ser um meio bem divertido de realizar aquele sonho escondido.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Agências de turismo do interior passam a oferecer pacotes em 24 vezes.

Os consumidores vão poder financiar até R$10 mil e a taxa de juros fica em torno de 3% ao ano





A parceria entre a Caixa Econômica Federal e as Agências de Viagens do Interior do Estado de São Paulo (Aviesp) vai facilitar as viagens de muitas pessoas. A linha de crédito oferecida pela Caixa ajuda o turista a parcelar em até vinte e quatro vezes as viagens. Com isso, a expectativa é que as classes C e D também ocnsigam ser inseridas nesse mercado.
A Aviesp calcula que o mercado potencial a ser explorado é de aproximadamente 15 milhões de pessoas. A Associação, que propôs o acordo, acredita que se a iniciativa for bem sucedida, os juros podem ficar menores. 
A reportagem de Juliana Brunório mostra o otimismo do setor com o novo financiamento.









Backpackers, Independent Traveller's, Mochileiros... Pé na Estrada!

Clique no link e confira um post muito legal de Ana Santucci

http://blogs.abril.com.br/penaestrada


Mochila nas Costas e Pé na Estrada!

Backpackers, Independent Traveller's, Mochileiros... Pé na Estrada!

Criado em 01.06.2010, 0 comentários:
Do inglês, a palavra backpacker significa “aquele que carrega uma mala nas costas”, ou seja, mochileiro ! Em inglês ou em português, ambas denominações são utilizadas para descrever os turistas que viajam de forma independente e econômica. Aventura,...

Mochileiros deixam mais receita no Brasil que turistas convencionais


Fonte: Jornal do Comércio -  04 Jun 2010
Uma pesquisa feita em albergues da juventude do Rio de Janeiro (RJ), Foz do Iguaçu (PR) e Salvador (BA) mostra que 70% dos visitantes estrangeiros de fora da América do Sul são europeus. Enquanto 19% dos turistas vêem da Inglaterra, mais de 13% são alemães. 

Viajantes com idade entre 18 e 29 anos somam 73% do total. Cerca de 27% desses turistas ficam, em média, entre 26 a 30 dias no Brasil. Mas a média geral de visitação fica acima disso: 49 dias. Ou europeus superam o tempo médio de permanência, ficando cerca de 53 dias no país. "Esse tempo está bem além da duração de viagem dos viajantes convencionais", comparou o autor da pesquisa, Rui José Oliveira, consultor em turismo e professor universitário

Por isso, segundo a pesquisa, o turismo "backpacker" - o chamado "turista independente" - deixa maior receita no Brasil que o turismo tradicional. "O mochileiro tem uma agenda de viagem mais flexível, vai descobrindo e reprogramando a rota, sem itinerário fixo. Em uma viagem, passa por diversos destinos, e apesar de ter um gasto diário menor e dar preferência por acomodações econômicas, acaba deixando mais dinheiro que os turistas tradicionais por permanecer na estrada por mais tempo", explicou Oliveira.

Segundo Oliveira, embora os "backpackers" procurem experiências e lugares singulares em suas viagens, destinos tradicionais não perdem espaço em seus roteiros. "As capitais continuam entre as cidades mais visitadas", mostrou o pesquisador.

A diversidade cultural do Brasil é a principal motivação de viagem para 30% desses visitantes. Mais de 80% dos turistas consultados afirmou costumar ir à praia em viagem ao país, de acordo com a pesquisa.

Oliveira apresentou os resultados na mesa redonda "Turismo para Mochileiros: uma alternativa de desenvolvimento", atividade do Núcleo do Conhecimento no 5º Salão do Turismo, no final de maio. O pesquisador entrevistou 248 estrangeiros, excluindo os sulamericanos.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Quando a ferrugem comeu nossa história.

Abandonando nossa história
No post anterior, falei do Museu Ferroviário da Cia. Paulista, localizado em Jundiaí, SP. No final do post, falei da situação de abandono de inúmeras locomotivas históricas estacionadas no galpão ao lado do museu.
Essa máquina ao lado é uma das primeiras locomotivas a atender a região de Jundiaí. Pelos buracos do teto do galpão, já dá para imaginar o restante da cena.
O outrora poderoso carro a vapor, hoje é um bloco de ferro sendo consumido pela ferrugem e pelo tempo.
Nesse galpão, que também pode ser chamado de cemitério, jaz inúmeros outros trens.
Um apelo à prefeitura de Jundiaí: de um pouco mais de atenção a esse patrimônio histórico !

Um Museu que conta a história ferroviária de São Paulo.

Museu Ferroviário da Cia. Paulista - Jundiaí - SP
Parte da história do transporte ferroviário paulista pode ser conferido no Museu da Cia. Paulista de Estradas de Ferro, localizado na cidade de Jundiaí.
Inaugurado no dia 9 de março de 1979, possuí em seu acervo réplicas de locomotivas a vapor e documentos históricos sobre o auge da Cia. Paulista.
Seu primeiro nome - que durou até a reforma em 1995 - foi Museu Ferroviário Barão de Mauá.
O lado "visitável" do Museu é muito bem organizado e bonito. O triste é comprovar ao fuçar nos galpões ao lado do museu, inúmeras locomotivas abandonadas e destruídas pelo descaso e pelo tempo.
Não entendo o que acontece nesse país: nenhum administrador público consegue uma coisa completa. Sempre fica um rabo para ser consertado.

Endereço: Av. União dos Ferroviários, 1760 - Tel. (11) 4522-4727
Entrada: grátis
Horários: de terça a sexta, das 9h/11h, 13h/17h - sabados e domingos, das 9h/13h

A Beleza e Grandiosidade da Cachoeira do Caracol

Cachoeira do Caracol - Canela RS
Um parque que vale a pena ser visitado é o Parque do Caracol, localizado na cidade de Canela - se der um passo pro lado, vc já está em Gramado.
No local, muito verde e espaço para churrasco e chimarrão em família além de um bosque de araucárias gigantescas.
Um dos destaques do Parque é a cachoeira. Ela pode ser contemplada com muito mais detalhes subindo o um mirante todo moderno de 30 metros de altura. Não se preocupe, ele tem elevador panorâmico.

Armaduras, Espadas e ... Previsão do Tempo ???

Uma previsão do tempo diferente...
Andando pelas ruas de Florença, deparamos com uma feira de chocolates artesanais - que chato heim..rsrs - e uma cena divertida. Um canal de TV estava transmitindo ao vivo e fazendo a previsão do tempo para o dia seguinte. O legal da história toda é que todos estavam vestidos com armaduras e simulando uma luta de espadas.
O detalhe engraçado ficou para apresentador figuraça: ele estava de armadura e tênis branco.

Museu Capitolina: a Casa da Loba

Ao lado do Fórum Romano você tem o Museu Capitolina, um local que vale a pena ser visitado em Roma. É nesse museu que você vai poder ver de perto a famosa estátua da Loba alimentando Rômulo e Remo, os gêmeos fundadores de Roma, de acordo com a lenda.
O museu é grande  e muito bem organizado. Em 2 horas você consegue fazer uma boa visita ali.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Como Planejar Sua Viagem.

Viajar é delícia. Conhecer novos lugares, pessoas e costumes é um aprendizado que dificilmente você esquecerá. Mas uma boa viagem vai depender de organização e planejamento. Viajar no estilo backpacker (mochila) requer, antes de tudo, boa disposição e uma dose extra de bom humor.
Dormir em albergue poderá ser uma experiência agradável ou uma terrível experiência.
Se você tem uma grana preparada para viajar, parabéns. Pegue suas coisas e boa viagem.
Como esse não é o caso da maioria dos viajantes, uma dica é começar a guardar dinheiro um ano antes de partir.
Aí vão algumas dicas úteis para a sua próxima viagem:

1. Escolha o seu destino. Não limite seu sonho.
2. Selecionado o destino, pesquise todas as possibilidades de hospedagens, custo de vida do país, costumes, etc. Um site muito bom para localizar hostel (albergue) é o www.hostelworld.com
3. Verifique quanto você irá gastar em média por dia e coloque uns 20% a mais por garantia.
4. Comece a comprar moedas para a viagem: uma coisa é vc arrumar mil euros em uma semana e outra coisas é você levar um ano juntando esse valor.
5. As casas de câmbio vendem moedas picadas, ou seja, você pode ir comprando aos poucos. Consulte sempre na Internet a cotação das moedas.
6. Crie uma poupança de viagem: um cinema hoje poderá ser um passeio em outro país daqui a um ano.
7. Pesquise sempre os preços de passagens aéreas. Se cadastre em todos, assim você receberá as promoções constantemente. Alguns sites legais de pesquisa: www.decolar.com.br e www.viajanet.com.br
8. A maioria das cias aéreas também vendem passagens internacionais diretamente no site. Todas as passagens podem ser parceladas no cartão de crédito, algumas em até 10 vezes sem juros.
9. Vá aumentando progressivamente seu limite de cartão de crédito. Ele será uma garantia para eventuais surpresas durante a viagem.
10. Cheque a validade de seu passaporte: ele tem que ter pelo menos 6 meses de validade.
11. Confira se o país escolhido pede visto de entrada. Não deixe para a última hora.
12. Procure obter o máximo de informações sobre o destino desejado. Converse com amigos, pesquise nos blogs na internet os relatos de outros viajantes.

Depois de tudo isso, só posso desejar UMA BOA VIAGEM !

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Roteiro de viagem

O Sensacional Grande Cânion Brasileiro

Anote na sua agenda: Cânion Fortaleza, Cambará do Sul, Rio Grande do Sul.
Esse é um dos lugares mais incríveis que visitei. Chegando à cidade de Cambará do Sul, você tem 2 opções: Fortaleza ou Itambezinho. O segundo cânion é mais turistico, tem estrutura e recebe muita gente, o ano todo.
Já o cânion Fortaleza fica à 23 km do centro da cidade, estrada de terra e que requer um carro alto ou tracionado. Depois de 1 hora de estrada, você fica à beira de um precipicio de 1.200 metros de altura. Em dias limpos, você consegue avistar o mar.
Em Fortaleza, as montanhas foram caprichosamente recortadas pela natureza. Estacione seu carro e ande até a beirada da montanha. Ali você está - como disse um turista - a um passo de Deus.


Quando um Turista te Fotografa...

Em todos os albergues, os brasileiros viviam comentando que a gente nunca deveria pedir para um turista japonês te fotografar.
Eles te fotografam muito bem, mas só você.
No centro de Milão, resolvi testar a teoria e fiquei em frente estátua de Leonardo Da Vinci. Pedi para uma simpática japonesa tirar uma foto minha com o monumento ao fundo.
Comprovando a teoria, você pode observar ao lado que eu apareço inteiro, enquanto o Da Vinci foi devidamente cortado da foto. Bem que ela poderia subir um pouco mais, não é ?

Festa brasileira em Roma

Festa brasileira em Roma

Ficar em albergue tem algumas vantagens. Uma que considero a mais interessante é que você pode fazer novas amizades e organizar em minutos uma pequena festa.
Essa confraternização regada a vinho e massa foi metodicamente organizada em 2 minutos e meio, quando encontrei uma turma de professores e alunos do Rio de Janeiro. Convidamos também um francês (o primeiro da esquerda para a direita) e reencontrei meu colega de albergue de Napoles (Felipe). Resultado da festa: nenhuma garrafa de vinho saiu ilesa. Beijos para a Débora Aranha e galera !!!

Pompéia Pornô

Na história do homem, sexo sempre foi um assunto levado a sério e na cidade de Pompéia, com certeza, a coisa não era diferente.
Caminhando pelas ruínas da cidade de Pompéia, entrei em uma das casas que estava intacta.
Da porta, você seguia por um corredor onde saiam vários quartos pequenos com camas de pedra.
Nas paredes, pinturas pornôs no melhor estilo "brasileirinhas". No final do corredor, um pequeno banheiro. Ao ler a placa ficou claro: era uma casa de sexo.
O interessante é observar que o puteiro pompeiniano estava localizado em uma rua normal e cercada de bares e restaurantes. E pelas pinturas também dava para perceber que os caras não faziam nenhuma diferença entre homens e mulheres. Ali, valia tudo.

A porrinha torta

Parecia que todos os mochileiros brasileiros já tinham combinado nos albergues. Era só perguntar o que mais tinha na cidade de Pisa que a resposta era uma só: bom, só tem aquela porrinha torta !
Resolvemos ir conferir e, realmente, o que mais chama a atenção na cidade mesmo é a Torre de Pisa, a popular, tortinha.
Ela fica localizada numa área distante há uns 2 km da Estação de Trem. Dá pra ir a pé tranquilamente. No local, além da torre, você conhece uma catedral (mais uma) e um duommo (mais um). Um lindo gramado compõem a paisagem e barraquinhas se encarregam de vender lembranças, lanches e refrigerantes.
Tome cuidado com os africanos que insistem em vender relógios falsificados de todas as grandes marcas: um Armani pode sair de 80 por 15 euros. Detalhe: funciona !!!!!

Papa João 23

Quando você visitar a Basílica de São Pedro, no Vaticano, preste atenção em um altar de destaque onde fica o corpo embalsamado do Papa João 23, conhecido também como o Papa Sorriso.
Olhando rapidamente, você percebe que o rosto é uma máscara feita de cera, provavelmente, para não chocar os visitantes.
João 23 foi o Papa de numero 261 e se chamava Angelo Giuseppe Roncalli. Nasceu em 1881 e morreu em 1963, quatro anos e meio depois de sua eleição ao trono de São Pedro.

sábado, 9 de outubro de 2010

Roupas de Soldados Romanos

Preste atenção, ao caminhar pelas apertadas ruas de Roma, às pequenas lojas que vendem réplicas perfeitas dos uniformes dos soldados romanos.
Ali você pode comprar elmos, espadas romanas, escudos, enfim, dá pra sair fantasiado e pronto para figurar em uma produção de qualquer filme de época.
Além dos uniformes militares, você pode se arriscar a comprar um capacete de gladiador também. Só tome cuidado, pois tem algumas opções em fibra que imitam metal. Em tempo: uma espada romana custa 80 euros, uma adaga 30 euros e o capacete vai depender dos detalhes que você vai querer.

Plaza Spagna

Essa praça é muito bonita e cercada de várias lojas bem legais. Ao fundo, você observa uma escadaria que termina, pra variar, em uma igreja.
Você seguindo a minha direita, sairá na Plaza Del Popolo.

Arco de Tito e Coliseo ao fundo

Andar pelo Fórum Romano é uma piração só. Ali se misturam ruínas de diversas etapas do Império Romano. Uma mania que a gente tem ao estudar a história é achar que Nero, Júlio César, Octaviano e outros imperadores romanos jogavam bola juntos, ou seja, viveram todos na mesma época. A diferença entre eles são de anos, dependendo do caso, séculos. Ali no Fórum, você acaba conhecendo várias etapas da história romana, sem contar que você literalmente anda em cima de uma das 7 colinas que formam a cidade, no caso, o Palatino.

O Coliseo

Um dos principais cartões postais de Roma.
Tire pelo menos meio dia para curtir o local.
Se você comprar o ingresso separado, vai pagar 11 euros. O ideal é adquirir o Roma Pass que vale para duas atrações na cidade, além do que, você evita filas nas bilheterias e pode andar de transporte público por 3 dias.
Detalhe: o ingresso para o Coliseo vale também para visitar o Fórum Romano, que fica ao lado.
Prepare para gastar sola de tênis..rs

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

RESUMO DE VIAGEM

Ola pessoal.
Depois de um tempinho fora, voltei com carga total pro projeto Mochileiro40tao. No inicio do ano, fiz uma longa viagem pela Itália com direito a uma corridinha de 2 dias para a Suíça, mais precisamente, na capital Berna.
De lá pra cá, acabei viajando para Fortaleza e para as serras gaúchas. Um resumo do que posso dar da viagem para a Itália é que vale a pena, apesar do mau humor dos italianos e da instabilidade financeira que passa o País. O local além de ter história esbarrando em você a cada esquina, é muito bonito.

Roma:

Após chegar em Milão, peguei uma conexão e fui direto pra Roma. Chegando no aeroporto Leonardo Da Vinci, peguei um trem (sai de dentro do aeroporto mesmo - segundo andar) direto para a Estação Termini, a principal estação de trem da cidade. O valor do transporte é de 11 euros. Uma dica que dou é ir de Onibus. Demora um pouco mais, mas em compensação você desenbolsa apenas 7 euros. Acredite, 4 euros da pra você comer um lanche no McDonalds.
Em Roma, fiquei no albergue da juventude, perto do parque olimpico. É afastado da cidade, mas perto do Vaticano. Dá pra ir rezar a pé tanquilamente. O albergue é enorme e limpo. O custo da hospedagem é de 20 euros sem café da manhã.
Se você se contentar em beber um capuccino e comer um pão doce, desenbolse mais 1 euro no restaurante do proprio albergue. Como fui no mês de fevereiro, a temperatura é bem baixa, perto do zero grau.

Dicas:
- Leve um cadeado para seu armário. Se resolver comprar no albergue vc vai gastar 5 euros;
- Comece a viajar com um netbook. Usar o computador do local com internet custa 3 euros a hora;
- Esse albergue pede carteirinha, portanto, leve-a sempre.
- Não tem lavanderia;
- O restaurante é simples, mas a comida é boa e barata.
- Lembre-se sempre de comprar o cartão para o ônibus e metrô no próprio albergue, custa 1 euro por 75 minutos de transporte público;
- Não se assuste com o atendimento: o recepcionista tem cara de mal, mas é gente fina.

Firenze:

De Roma, peguei um trem para Firenze, ou Florença. São 2h30 de viagem no trem de alta velocidade. Cheguei por volta das 11 da manhã e fui direto para o albergue. Fiquei no Florence Plus, uma rede de hostels bem moderninha. Os quartos são equipados com TV, banheiro privativo, camas novas, aquecimento na medida e um restaurante bem equipado. Alias, o hostel tem até uma baladinha movimentada no sub-solo.
Como ele estava fechado para limpeza e só poderia fazer minha ficha depois das 15 horas, deixei a mochila no depósito do hostel e fui bater perna pela cidade.
Para quem não se lembra das aulas de história, Florença é a capital do Renascimento. A cidade é linda e você tem muitos museus e opções de lazer.

Atrações imperdíveis:
- Museu Ufficio;
- Catedral Duomo;
- David do Michelangelo;
- Ponte Vechia e seu mercado de jóias e ouro;
- Praça do Museu Ufficio com um monte de estátuas que você só tinha visto nos livros do colégio;
- Mercado Municipal e seus lanches ultra-mega-super apimentados;
- Feirinha de roupas de couro e outros artigos nas ruas ao redor do mercado;
- Fortaleza;

De Florença, você pode pegar um trem e ir conhecer a Torre de Pisa, que fica a menos de uma hora de lá. Vale muito a pena ir para Pisa. A cidade é pequena, bonita, limpa. A atração turistica só é a torre mesmo.

Veneza:

Pegando o trem em Florença, segui para Veneza. Minha previsão era de ficar 3 noites na cidade. Sabia que iria chegar bem no inicio do carnaval, só não esperava que os preços - que geralmente são os mais caros da Europa - seriam tão absurdos assim.
Desci na Estação de Santa Lucia e fui atras de informações. O hostel que peguei ficava numa das ilhas afastadas da Praça de San Marco, daí, iria ter que pegar o ônibus aquático toda hora. Meu susto foi o de constatar que cada hora de busão marítimo eu teria que desenbolsar 6 euros.
Você pode comprar bilhetes multiplos, mas os preços continuam bem altos.
Além disso, o hostel é muto antigo e com mais de 16 pessoas no mesmo quarto. Confesso que me senti um verdadeiro pedreiro trabalhando na construção da Torre de Babel: tinha um representante de cada país dormindo no mesmo local.
Pra variar, um monte de brasileiros estava por la também.
Como vi que iria quebrar o meu planejamento, resolvi conhecer a cidade e verificar se valeria a pena ficar os 3 dias previstos.
Bom, resumo do história: em um único dia conheci toda a cidade, tirei fotos, visitei museus e igrejas e comi kebab. Deu para conhecer, aproveitar tudo, voltar pro albergue, dormir e ir embora na manhã seguinte.
Como disse, era carnaval e a cidade estava abarrotada de turistas. Era dificil andar com tranquilidade por lá.
Valeu muito a pena conhecer Veneza. Um dia ainda volto para lá. Essa é uma cidade que você deve conhecer correndo o risco de que se não fizer, ela poderá desaparecer para sempre.
Esse risco já não corro mais...

Dicas:
- Procure ficar em hotel ou hostel na cidade vizinha, uma ou duas estações de trem antes de Veneza. São bem mais baratas e é o que todo mundo que conhece faz.
- Passe antes em um mercado e abasteça sua mochila com lanches e chocolates. As opções são muitas em Veneza, mas o bolso deve estar bem preparado;
- Em algumas épocas do ano a cidade enche de água, portanto não se assuste em molhar os sapatos;
- Um passeio de gôndola custa entre 80 e 100 euros;
- Há muitas lojinhas perdidas nas vielas com preços excelentes em colares e anéis de vidros Murano;
- Aliás, a ilha de Murano é do lado de Veneza. Vale a pena visitar;

No próximo post vou falar sobre Milão e Berna. Abraços a todos.

Eduardo Sona