Seguro

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

UM PASSEIO NO MUSEU BRITÂNICO...

Como em breve irá estrear o filme "Uma noite no museu 3" onde a história se passa, em parte no Museu Britânico em Londres, resolvi postar essa matéria produzida nesse que é considerado, um dos museus mais completos do mundo. Confira.



sábado, 27 de setembro de 2014

O FACEBOOK E AS VIAGENS...

Facebook apresenta pesquisa inédita na ABAV Expo
Viagem é o tema mais discutido na rede social
Dividida em três partes, João Pastore e Marcio Freire, diretor e gerente de Negócios do Facebook, respectivamente, ministraram a palestra “Como o Facebook pode ajudar você a vender mais viagens”, no segundo dia da 42ª ABAV – Expo Internacional de Turismo, realizada no Centro de Convenções do Anhembi.

Pastore iniciou a apresentação mostrando, em primeira mão na ABAV Expo, algumas informações da pesquisa realizada pela Sparkle, na qual detectou que o turista utiliza a plataforma em todos os estágios da viagem, por meio de cinco ciclos. O objetivo da pesquisa é identificar o comportamento dos viajantes, além de revelar que o tema “viagem” é o tópico mais discutido no Facebook.

Sonhar é o primeiro ciclo detectado pela pesquisa, revelando que 80% das pessoas se influenciam por fotos de amigos para realizar uma viagem e 42% acessam os álbuns para conhecer mais sobre aquele destino. O segundo ciclo é o de planejamento, apontando que 85% dos usuários da rede social ficam propensos a escolher um destino depois de conversar com os amigos que estiveram naquele local e 89% escolhem por indicação.

Comprar compõe o terceiro ciclo da pesquisa, indicando que os indecisos buscam referências nos amigos antes de tomarem qualquer tipo de decisão. Viver o momento se refere ao quarto ciclo, indicando que os usuários estão a todos os momentos conectados ao Facebook, apontando que 98% se conectam durante as férias e 92% acessam a rede social todos os dias da viagem, incluindo check-in em um determinado local, como aeroporto ou restaurante, por exemplo. Pastore apontou o quinto ciclo como o momento de relembrar a viagem, indicando que 93% compartilham o álbum da viagem ao chegar em casa e 38% compartilha ainda em trânsito.

Fonte: Assessoria de Imprensa 42ª ABAV

NO DIA MUNDIAL DO TURISMO, UM FEIRÃO DE VIAGENS !

Dia Mundial do Turismo ganha tom especial durante a 42ª ABAV EXPO
O evento que reúne destinos, operadoras de turismo, sites e serviços destinados ao mercado de turismo, está sendo realizado no Pavilhão de Exposições do Parque Anhembi, em São Paulo.
Celebrado em 27 de setembro, o Dia Mundial do Turismo coincide, este ano, com o calendário da 42ª ABAV – Expo Internacional do Turismo. Neste dia, precisamente, será lançada a grande atração que o evento guarda este ano para o consumidor final – o Feirão ABAV – uma extensão da feira dedicada à comercialização de roteiros, serviços e pacotes turísticos, nacionais e internacionais, que poderão ser adquiridos com descontos e preços promocionais.

“Uma feliz coincidência que acrescenta um motivo a mais para corroborar com nosso otimismo em relação à iniciativa. Vamos comemorar a data em alto estilo, alargando o raio de ação do evento maior do turismo das Américas”, comenta Antonio Azevedo, presidente da ABAV Nacional.

Enquanto a Organização Mundial do Turismo (OMT) estiver protagonizando o encontro de 27 de setembro de 2014 na cidade mexicana de Guadalajara, este ano sob o tema “Turismo e Desenvolvimento Comunitário”, Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, o trade turístico estará ampliando as oportunidades de viagens a mais brasileiros, para uma centena de destinos, dentro e fora do Brasil.

Ainda como parte das comemorações pelo Dia Mundial do Turismo, a ABAV Nacional fará um momento solene, às 13h, na entrada principal do Pavilhão de Exposições do Anhembi, contando com a participação do ministro do Turismo, Vinícius Lages, do diretor-executivo de Competitividade, Relações Externas e Parcerias da Organização Mundial do Turismo (OMT), Márcio Favilla Lucca de Paula, e do presidente da GTTP Brasil, Alberto Martins. A solenidade termina com uma apresentação da Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo.
Fonte: Assessoria de Imprensa 42ª ABAV

terça-feira, 16 de setembro de 2014

O DIA EM QUE CHEGUEI ATRASADO À SANTA CEIA...

Um quadro misterioso... e lindo.
Ver, ao vivo, a pintura da Santa Ceia é para poucos privilegiados.

Não estou falando isso para me gabar ou algo do gênero mas, sim pelo fato de que a concorrência para se comprar os ingressos pela Internet é muito grande e esse é o único jeito de apreciar essa obra do mestre Leonardo Da Vinci.

Estando em Milão e, embora não tenha sido convidado para a Santa Ceia, resolvi aparecer de surpresa. Não sabia que o ingresso só podia ser adquirido pela Internet. Em frente à Catedral Duommo, comprei um mapa da cidade na banca de jornais, parei, calculei a distância, o trajeto e saí caminhando. A primeira parada foi o Castelo di Sforza.

Dalí, peguei a esquerda e fui à procura do Cenaculo Vinciano, local que abriga a pintura. Andei e andei e nada de achar o local. De uma hora para outra, a batata da perna direita resolveu doer. A velocidade diminuiu, a canseira aumentou e batata quase assou.

Depois de andar por uns 40 minutos, parei e resolvi estudar atentamente o mapa. Foi aí que percebi que até aquele momento, estava lendo o mapa de cabeça para baixo. Mesmo com a perna doendo, sentei numa mureta e comecei a rir sozinho. Parecia um tonto...rsrs

Com o mapa na posição certa, fui para o lado certo. Ufa. Em minutos, já estava na porta do Museu, um antigo convento onde, na parede de seu refeitório, Da Vinci pintou a magnífica obra. Todo feliz fui direto ao balcão e pedi um ingresso. Claro que a resposta foi não. Ingresso só pela internet e com horário agendado. São permitidas apenas 15 pessoas por vez, a cada 15 minutos.

Já era perto das 13 horas. Perguntei se havia previsão de ingressos para os próximos dias e a resposta também foi um sonoro não. Foi nessa hora que um verdadeiro milagre aconteceu. Ao me virar para sair, fui abordado por uma japonesa bem simpática que, do nada, me ofereceu um ingresso para as 13h30 !

Nem acreditei. Claro que disse sim e perguntei o valor, achando que ela poderia cobrar um valor maior. Daí aconteceu um segundo milagre: "você me paga apenas o valor que paguei", disse ela. Confesso que fiquei emocionado e agradecido. Ela explicou que havia sobrado aquele único ingresso do seu grupo.

Aguardei o meu horário, entrei, vi a obra, me emocionei e, 15 minutos depois, saí da sala. Já fora do prédio, sentei-me na calçada e fiquei por alguns minutos refletindo o acontecido. Entendi que ler o mapa de ponta cabeça e sentir dor na batata da perna foram as estratégias utilizadas para me atrasar.
Se eu tivesse acertado o local de primeira, chegaria 1 hora mais cedo e não encontraria aquele anjo nipônico. São coisas inexplicáveis e maravilhosas.

Quanto à dor na perna ? depois da visita, até isso sumiu...

EU VIAJO POR CULPA DO MEU SOFÁ.

Sofá novo ou viagem ? tem dúvida ?
Você acredita que esse singelo jogo de sofás foi o "culpado" por duas grandes viagens internacionais ? É a mais pura verdade. Vou contar um pouco dessa história.

Esses sofás estão comigo desde 2008 e vieram direto da loja Etna. Não são muito confortáveis, mas dá para o gasto. A vantagem é que eles são "meio" transformers: basta puxar o assento e, voilá, viram camas.

No final de 2009 pensei em me livrar deles e comecei a pesquisar novos modelos. Queria um sofá maior, com encosto reclinável, tipo mega conforto.

Mas, a minha lista de opcionais ia diminuindo à medida que eu via os valores: 2 mil... 3 mil reais... 5 mil.

Nessa época já estava em curso a criação do meu blog de viagem, o Mochileiro40tao.
Ao me deparar com esses preços, caí na besteira - ou na felicidade - de começar a compará-los com o valor das passagens aéreas. Por diversão, passei a batizar cada modelo com o nome de uma cidade: Lisboa, Londres, Roma, etc...

Um dia quase caí na tentação de comprar um que custava mais de 3 mil reais. Segundos antes de fechar negócio, o lado viajante pesou e vi que, com esse dinheiro eu poderia viajar para a Itália.

Foi exatamente o que fiz. Com mais um pouco de grana guardada, viajei por 17 dias pela Itália e Suíça. Fui de Nápoles à Veneza, passando por Berna (Suíça) curtindo os trens, dormindo em hostel e visitando monumentos que, até aquele momento, conhecia apenas por fotos de revistas e livros.

Em Roma, lembro-me de ter sentado em uma enorme pedra com mais de 2 mil anos no interior do Coliseo. Essa foi a hora que parei, descansei, agradeci e aprendi.
Graças à Deus estou neste local e sentado nessa pedra. Poderia estar em casa, sentado no sofá vendo um documentário na TV. Que chato !

A pedra nem de longe era confortável, mas eu estava lá, vendo e sentindo ao vivo aquele magnífico local. O sofá vermelho continua lá em casa, firme, forte e sempre motivador. Em 2010, ele foi um dos responsáveis por uma nova e grande viagem. Mas isso eu conto depois...

sexta-feira, 27 de junho de 2014

VÍDEO DA SEMANA: VAMOS DAR UMA VOLTA EM FLORENÇA ?

A cidade de Florença é conhecida como o berço do Renascimento. No passado, artistas como Leonardo Da Vinci, Michelangelo e outros grandes nomes da arte circulavam alegremente por suas ruas. A cidade está localizada na região da Toscana, famosa por suas paisagens, vinhos e boa comida.

Clique no vídeo e conheça um pouco mais sobre essa linda cidade.



quinta-feira, 26 de junho de 2014

ALEXANDRE III - A PONTE MAIS BELA DE PARIS

Detalhe de uma das colunas da Ponte Alexandre III
Paris é famosa por inúmeras atrações, entre elas, suas pontes. Para mim, uma das mais bonitas é a Ponte Alexandre III com suas inúmeras esculturas douradas e arquitetura.

Como não poderia deixar de ser, ela atravessa o Rio Sena e compõem o conjunto arquitetônico ao lado do Grande Palácio e Pequeno Palácio.

Sua construção foi iniciada em 1896 e marcou a aliança entre a França e Rússia, daí a homenagem ao Czar Alexandre III. O que chama atenção nessa ponte são as gigantescas estátuas de querubins, ninfas e cavalos alados. Todas essas obras dão um visual incrível para a produção de lindas fotos.

O difícil é escolher os infinitos ângulos para as fotos.
Por sua beleza, a ponte Alexandre III também atraí inúmeros noivos e noivas devidamente paramentados para fotos, e isso não é nenhuma cena rara. Basta apenas que o dia esteja bonito.

Essa ponte também foi cenário de inúmeros filmes, entre eles, Meia Noite em Paris (cena final). É por esse e outros espaços que a cidade de Paris se destaca e se torna uma excelente opção de viagem.

Além disso, visitar essa e outras pontes não precisa de dinheiro, basta um mapa e disposição para caminhar pela cidade.

Ao fundo, o Grande Palácio.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

TURISMO HISTÓRICO: ALGUMAS CURIOSIDADES SOBRE O RAMAL FERROVIÁRIO ITATIBENSE.

Antiga estação Paraizo.
O ramal Itatibense, embora curto, foi uma das principais vias de acesso para o desenvolvimento dos estados de São Paulo e Minas Gerais.

Durante alguns anos, esse pequeno trecho de 20 km possibilitou a comunicação entre as cidades do sul de Minas Gerais com São Paulo, Campinas e o Porto de Santos.

Durante a Revolução de 32, essa linha foi muito utilizada para o transporte dos soldados paulistas que rumavam em direção à Bragança Paulista na tentativa de "segurar" a invasão do exército mineiro.

Outras curiosidades sobre esse ramal:


  • A baixa velocidade dos trens e o terreno íngreme faziam com que a viagem durasse até 2 horas para ir de Louveira à Itatiba;
  • O ramal foi oficialmente paralisado em 1953 após anos de funcionamento deficitário;
  • Ainda restam alguns pedaços de muro e plataformas das estações espalhados ao longo da Rodovia Romildo Prado;
  • Mais informações sobre este ramal você pode conferir no Documentário "Gare Louveira"
  • O trajeto do ramal era semelhante ao trajeto atual da Rod. Romildo Prado

sábado, 21 de junho de 2014

PARA QUEM É FÃ DO DOCTOR WHO...

Mais um pouco entrava nela e sumia...kkk
Doctor Who. Você o conhece ? Não ? É uma pena pois trata-se de um dos seriados de ficção mais antigo da TV mundial além de ser um ícone da cultura britânica. Produzido pela BBC, a série conta as aventuras do último Senhor do Tempo, um doutor meio maluco porém genial que viaja em sua máquina do tempo x espaço chamada TARDIS (essa cabine da foto ao lado).

Nos últimos anos, a série passou a ganhar espaço em outros países, principalmente nos Estados Unidos, graças a uma eficiente ação de marketing. Até os personagens nerds da série americana Big Bang Theory já reverenciaram a série em diversos episódios.

Porém, quem vai para Londres na esperança de achar a famosa cabine azul e tirar umas fotos ao lado dela, fica um pouco decepcionado. Procurei bastante e, finalmente, a encontrei.

O jeito mais fácil  de resolver isso, seria visitar os estúdios da BBC e o parque temático da série na cidade de Cardiff, porém, um pouco longe de Londres.
http://www.doctorwhoexperience.com

Encontrei essa cabine em uma loja de lembranças, bem próxima à estação de metrô Baker Street. Como referência para se achar a loja, há uma estátua de Sherlok Holmes bem em frente a essa loja. Na outra quadra, você tem o Museu de Cera de Madame Tussard's. Aí fica mais fácil.

Essa cabine é, na verdade, um quiosque de produtos da série. No dia que passei haviam poucos itens interessantes. Como o meu objetivo era levar uma TARDIS, acabei comprando um cofrinho de aço por 8 pounds.

Whomaniacs, está aí a dica...

quarta-feira, 18 de junho de 2014

OS NOSSOS - E OS VOSSOS - PROBLEMAS...

Aeroportos brasileiros: faltam metrôs interligando.
Na semana passada a revista britânica The Economist publicou uma matéria falando sobre os problemas do Brasil, comparando-os com as dificuldades encontradas em outras grandes cidades.

Com o título "Traffic and tempers" (trânsito e humores), a matéria compara, através de depoimentos de vários turistas estrangeiros que os problemas brasileiros são idênticos aos de seus países. Trânsito, aeroportos, burocracia não são privilégios apenas dos brasileiros, mas de todo o mundo.

Não vou afirmar que lá fora tudo funciona às mil maravilhas. Há problemas, e muitos. Na Europa, por exemplo, a questão do aumento de imigrantes africanos e do leste europeu somada à crise econômica e envelhecimento da população, vem modificando o "estilo primeiro mundo" de se viver. Hoje franceses, italianos e ingleses, por exemplo, convivem com pedintes, batedores de carteira e outros problemas sociais muito comuns no Brasil.

Outro fator que deve se levar em conta é que, quando se está viajando à turismo, tudo se transforma ao seu redor. Se isso acontece com os brasileiros que vão lá pra fora, acontece com os turistas estrangeiros que aqui chegam. O que faz com que o gringo fique admirado e fã do Brasil é, sem dúvida, o jeito carinhoso do brasileiro ao receber os visitantes, a nossa comida, o sol, o calor, as praias, enfim, um conjunto único que é capaz de esconder muitas falhas e defeitos do dia-a-dia.
Praia, sol e dinheiro no bolso: precisa de mais alguma coisa ?

Outro ponto importante e que faz muita diferença, é que o gringo chega ao país carregando moedas fortes, o que faz com que o custo da viagem fique bem mais atraente.

Para quem vive diariamente a batalha dos metrôs e ônibus paulistas e cariocas, a coisa é muito diferente. Tem ônibus cheios em Paris ? claro que tem, mas em compensação, tem muitos veículos e linhas à sua disposição. Faltam táxis nos aeroportos brasileiros ? Além de táxi faltam ônibus, trens e metrôs ligando o aeroporto ao centro da cidade, como acontece com a maioria dos aeroportos do exterior. Aliás, lá fora os turistas até evitam usar os táxis. Como há opções mais baratas como os ônibus e trens, os táxis são usados como último recurso.

Na verdade, o que vem desanimando e cansando o brasileiro é uma série de fatores: infra-estrutura falha, políticos corruptos, violência, impunidade, altos impostos x baixo retorno, saúde, etc. Passar um mês por aqui com dinheiro no bolso, sol, praias e mulheres bonitas é fácil. O difícil é conviver diariamente com os problemas e sem para onde correr.

Matéria publicada no UOL.
http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2014/06/13/gringos-provam-que-os-problemas-nao-sao-so-no-brasil-e-reclamam-tambem.htm

DICAS DE COMPRAS EM LONDRES: PICCADILLY CIRCUS

Piccadilly Circus.
Que Londres é uma cidade cara ninguém tem dúvidas, principalmente para nós, brasileiros, que recebemos em Reais e temos que gastar em Libras Esterlinas. Com uma diferença de quase 4 reais para 1 libra, ou pound, o bicho pega na hora das compras.

Porém, ah porém, coisas estranhas acontecem na terra da rainha. Mesmo com essa brutal diferença de valores entre as nossas moedas, é possível realizar boas compras de roupas e tênis em um dos principais pontos turísticos da cidade: Piccadilly Circus.

Não é a toa que essa mistura de praça com cruzamento de várias avenidas, é uma das mais movimentadas da cidade: ali você tem teatros, lojas, restaurantes, metrôs e turistas do mundo todo. Como a idéia é comprar, aí vai uma dica: aquele prédio da foto (LyllyWhites) abriga uma das maiores e melhores lojas de artigos esportivos: a esporte.com.

Apesar de estar sempre lotada, o atendimento é rápido e os preços imbatíveis. Quer um exemplo ? Tênis de couro da marca Everlast por R$ 64,00 ou camisetas da mesma marca por apenas R$ 25,00 ! Uma mala grande de viagem da marca Dunlop custa apenas R$ 70,00. Isso sem contar outros tipos de artigos esportivos e equipamentos.

A melhor maneira de se chegar lá é de metrô, uma das saídas da estação Estação Piccadily Circus fica bem em frente à loja. Não tem como errar.


Oxford Street.

Bem próximo a ela você encontrará uma das maiores lojas de gifts da cidade: a Cool Britannia. Os preços são um pouco salgados, mas nada que fará você desanimar. As camisetas oficiais com a famosa frase do metrô londrino, "Mind The Gap", são vendidas por 13 libras ou 52 reais.

Outro ponto turístico de compras da cidade é a Oxford Street. A movimentação nessa avenida é algo assustador assim como o tamanho das lojas.  Ali tem de tudo: de lojas de marcas à supermercados. 
A dica é exercitar a sua paciência, fazer uma rápida meditação, preparar o cartão e go !

segunda-feira, 16 de junho de 2014

UM PROJETO PARA PRESERVAR A HISTÓRIA DAS FERROVIAS.

Estação de trem de Louveira, interior de São Paulo.
Os patrimônios históricos das pequenas cidades brasileiras passam por enormes dificuldades. Abandono, depredações, roubos, pichações são alguns exemplos de como nós, brasileiros, cuidamos de nossa história.

Quem já teve a oportunidade de viajar para a Europa ou Estados Unidos, por exemplo, encontrou inúmeros prédios históricos bem conservados e em funcionamento. Muitos deles operando como museus, pontos de informação turística ou até mesmo restaurantes ou lanchonetes. Independente dos governantes, a população se preocupa em cuidar do que é seu e reconhece a importância desses prédios para a história da cidade.

No Brasil é gritante o estado de abandono das estações ferroviárias. Principais vias de acesso de mercadorias, passageiros e notícias, as estações de trem contribuíram para o surgimento de centenas de cidades espalhadas pelo interior até meados do século passado. Com a opção de se investir em rodovias, aos poucos as ferrovias foram sendo esquecidas e sua importância diminuída até chegar próximo de zero.

Pelos trens chegavam e saiam pessoas e mercadorias. O que antes eram pequenos vilarejos, com o passar dos anos, se transformaram em importantes cidades como é o caso de Jundiaí e Louveira. A história da estação de trem de Louveira é muito interessante pois ela foi a primeira a ser eletrificada na América Latina e, graças a sua interligação com o ramal Itatibense, passou a ser o principal entreposto de entrada e saída de mercadorias do interior paulista e sul de Minas Gerais em direção ao Porto de Santos.

Uma das iniciativas de se preservar a história desse local é a revista e documentário que estão sendo lançados pelo jornalista Eduardo Sona e pelo designer René Monterrey. Após pesquisas, entrevistas e levantamentos de fotos e filmes antigos, os dois realizaram um registro completo que conta a história e, principalmente a importância dessa linha.

A revista e documentário deverá ser lançada em junho em toda a região. Em agosto, será montada uma exposição itinerante que visitará escolas e bibliotecas de Jundiaí, Louveira, Vinhedo e Campinas.

Mais informações pelo email: eduardo.sona@gmail.com

quarta-feira, 11 de junho de 2014

QUANTO CUSTA PASSEAR EM PARIS ?

Torre Eiffel: o espetáculo do acender das luzes às
22 horas é sensacional. E grátis.
Paris é considerada uma das cidades mais caras da Europa. E isso até pode ser verdade. Se a sua intenção é fazer um roteiro romântico com jantares em bistrôs, compras na Champs Elissé e champagne no alto da Torre Eiffel pode preparar a carteira para gastar bem. Muito bem !

Mas, tem alguns macetes que podem ajudar a economizar alguns euros, principalmente se você viajar como mochileiro. Nesse rápido roteiro, vou passar algumas dicas que podem tornar a sua viagem mais divertida e menos cara.

O roteiro proposto saí de São Paulo, onde o preço médio das passagens custa por volta de R$ 2.200,00 ida e volta. O ideal, quando se viaja para a Europa, é ficar um tempo maior porque viajar 12 horas de avião para passear por 5 dias, é osso duro de roer.

Vou levar em conta que o turista queira ficar 5 dias na cidade gastando pouco. Vamos lá:

Tirando a parte aérea, sobra as despesas de hospedagem, alimentação, translados, tickets e compras.

Hostel - a diária em um hostel está na casa dos 25 euros com café da manhã. 4 diárias, 100 euros ou R$ 330,00. Há hotéis bons e baratos próximos à Gare du Nord com diárias para duas pessoas na casa dos 90 euros. Quartos limpos e com banheiro privativo.

Alimentação - ninguém vai morrer comendo lanche de baguete com presunto por 4 dias. Mas, mesmo assim, há algumas alternativas boas e baratas de alimentação. Uma delas são os pequenos restaurantes que, na sua maioria, são administrados por árabes. Os Kebabs (churrasco grego) são deliciosos. Muito desses lugares servem pratos com arroz, frango e salada. Na média, um kebab com fritas custa 5 euros e um prato completo, 7 euros. Há ainda as lanchonetes que vendem pizza em pedaços por 3 euros cada.
Se você tomar o café da manhã no hostel, economizará, no mínimo, uns 5 euros por dia. Ainda há as opções de compras de frutas, pães e chocolates suíços nos mercados como o Dia e Carrefour.
A cidade é rica em detalhes.

Translados - Paris oferece um excelente sistema de metrô e ônibus. O preço do ticket é o mesmo para os dois tipos de transporte mas eu descobri na última viagem que andar de ônibus é muito mais divertido.
Por 2 euros você embarca em um ônibus (linha 30) que liga a Gare du Est com o Trocaderó, passando pelos bairros de Montmatre, Pigalle e pelas atrações como Arco do Triunfo, Champs Elissé e, finalmente, estacionando no Trocaderó, local bem próximo da Torre Eiffel e um dos melhores locais para fotografar o monumento e assistir ao espetáculo das luzes que acontece todas as noites às 22 horas.
Portanto, se você resolver passear de busão pela cidade, fará uma excelente escolha.

Tickets - bom, você está em Paris e é a sua obrigação subir na Torre Eiffel, caminhar pela Champs Elissé, visitar o Museu do Louvre, as catedrais de Notre Dame e Sacre Creaux. Desses locais, você pagará ingressos no Louvre e na Torre. Separe uns 25 euros para as duas atrações.
Outro local imperdível é o Castelo de Versalhes. Nesse caso, o ideal é ir de trem.

Compras - finalmente chegou a hora das compras. Um dos locais mais em conta para se comprar lembrancinhas e roupas é a região do Montmatre. São centenas de lojas com preços interessantes.
Em alguns momentos chega a lembrar a famosa 25 de março de São Paulo..rsrs
Fazer compras na Champs Elissé é para os fortes de bolso. Claro que há algumas lojas mais populares  e com excelentes preços como a H&M, a Disney Store e a Fnac.

E no meio disso tudo ainda há as opções gratuitas como andar pelas margens do Rio Sena, sentar nas cadeiras da Praça da Concórdia, xeretar as feiras de antiguidade, visitar a Galleria Lafayette, caminhar e fotografar as inúmeras pontes e aumentar a sua cultura nas exposições no Grande Palácio.

Pensando bem, até que Paris não é tão cara assim...

Postagens relativas ao assunto:

http://mochileiro40tao.blogspot.com.br/2014/06/dica-usando-o-onibus-em-londres-e-paris.html

http://mochileiro40tao.blogspot.com.br/2014/05/jardins-de-monet-roteiro-completo.html

http://mochileiro40tao.blogspot.com.br/2014/05/roteiro-para-curtir-paris-em-3-dias.html

terça-feira, 10 de junho de 2014

PARA ONDE FOI PARAR MEU DINHEIRO ?

Planejando e economizando se vai longe...
Na semana passada, a revista Veja publicou uma matéria interessante entitulada "Para onde foi meu dinheiro ?" Ela aborda o tema "finança pessoal" e mostra como, muitas vezes, gastamos o nosso rico dinheirinho de uma forma inocente.

Essa matéria complementa o que já apresentei em algumas postagens, ou seja, viajar é possível, desde que você se planeje e, principalmente, economize.

Normalmente, todo mundo tem os seus gastos expressivos como aluguel, transporte, educação e alimentação. Mas há uma gama de outros gastos que, se somados, podem promover uma bela e longa viagem para qualquer parte do planeta.

Observe a estimativa de alguns gastos elaborada pela Veja e o impacto deles no orçamento mensal:
Um almoço aqui pode corresponder a dois em Paris.

- Lanchinhos em padarias, doceiras e lanchonetes ou balas, coxinhas e outros salgados fora das refeições principais podem gerar um gasto mensal de até R$ 240,00 para um casal.

- Para as mulheres, a compra de cosméticos aliada a ida ao centro estético provocam um gasto mínimo de R$ 200,00 por mês. Isso se ela não resolver fazer um tratamento completo...

- Até mesmo os bichinhos de estimação colaboram com os gastos: ossinhos, banho, tosa, brinquedos e rações podem ultrapassar a casa dos R$ 200,00 mensais.

- Taxas do banco, multas e juros de contas atrasadas consomem R$ 100,00 no mínimo.

- Já o fumante contabiliza gastos na casa de R$ 150,00 mensais só para alimentar o vício.

São muito mais itens como bebidas não alcóolicas, sorvetes, café da manhã na padaria, táxi, costureira, estacionamento, lanches no cinema, jogos na loteria, etc...

No total, um casal que pode manter esse tipo de gastos consumiria cerca de R$ 21 mil reais em um único ano. As contas foram elaboradas para um casal sem filhos e, todo mundo que quem tem filho gasta muito mais.

São nessas pequenas despesas que a viagem de seus sonhos pode estar escondida...

QUANTO CUSTA UMA VIAGEM DE 15 DIAS PELA ITÁLIA ?

Coliseo: precisa de mais alguma coisa ?
Recebo inúmeros e-mails de pessoas que querem viajar para a Itália e não sabem quanto isso vai custar. A primeira resposta é que o custo da viagem está estritamente amarrada com o estilo de vida e preferência pessoal.

Uma viagem de 15 dias pode custar 5 mil reais ou 50 mil reais, vai da escolha do freguês. Para tentar ajudar os leitores, simulei uma viagem à algumas das principais cidades italianas, com seguintes condições:



- um mochilão de 15 dias pela Itália visitando Roma, Florença, Pisa,  Milão, Veneza, Nápoles e Pompéia na baixa temporada (fevereiro).

- A chegada e saída será por Roma.

- Hospedagem em hostel, translado por trem e/ou avião. Alimentação sem luxo. Utilização de transporte público em todas as cidades.

- O roteiro será de 4 dias em Roma, 3 dias em Florença/Pisa com parada em Assis, 2 dias em Milão, 1 dia em Padova, 2 dias em Veneza, 2 dias em Nápoles e depois Roma.

Enfim, é uma viagem com o objetivo de conhecer as cidades e seus patrimônios históricos.
Vamos ao que interessa.

- Passagem aérea ida e volta São Paulo - Roma - 01/02/2015 a 15/02/2015 pela Submarino Viagens - R$ 2.477,00 em 4 x sem juros - R$ 908,00 + 3 x R$ 392,00

- Hostel - média de 22 euros x 13 diárias - 286 euros = R$ 943,00 (euro = R$ 3,30)

Veneza está nesse roteiro também.
- Translados - Roma - Assis - Florença - Pisa - Milão - Veneza - TREM - Os preços dos trens variam de acordo com as datas e horários. Há passagens de Roma para Florença custando 29 euros. Na média, elas custam 43 euros. Vamos usar uma média de 150 euros para ir de Roma à Veneza com todas as paradas do roteiro.
Valor estimado: 150 euros = R$ 495,00

- A volta de Veneza para Nápoles será pela Easyjet a um custo de 45 euros, ou R$ 148,00.
Se precisar despachar mala grande, some mais 19 euros.

- Refeições e guloseimas - média alta de 20 euros por dia - R$ 924,00

- Tickets, lembrancinhas e etc - 150 euros - R$ 495,00

Estimativa total da viagem - R$ 5.334,00
sendo que desse valor, leve em conta que R$ 1.176,00 serão pagos em prestações (parcelamento da passagem aérea.)
Pompéia é do lado de Nápoles.

No meu primeiro mochilão, esse foi o valor que gastei para 17 dias de viagem pela Itália e Suíça.
É importante ressaltar de que dormi muito bem em todos os hostels, não passei fome e nem vontade de saborear as comidas típicas, chocolates e vinhos. Voltei para casa com uma mala cheia de lembranças para todos os amigos e família e mais de 10 horas de gravações em vídeo além das mais de 3.000 fotos.

Outro ponto importante que vou abordar em um próximo post é como você pode organizar facilmente uma viagem como essa sem entrar em dívidas.

VIAJAR OU COMPRAR UM SOFÁ ?

Roma...
Muitos amigos e familiares me perguntam: por que eu acho importante viajar ? ou, por que não comprar móveis novos, carro zero, roupas de marcas, relógios em vez de viajar ?
Quando isso acontece, conto a história do meu sofá...

O sofá de casa é simples, comprei na loja ETNA há um bom tempo. Ele não é muito confortável, mas dá conta do recado e está inteiro, sem rasgos ou remendos.

Vermelho, ele (o de 3 lugares) faz companhia para a outra amiga, uma poltrona da mesma cor. Quando recebo visitantes, eles dão conta do recado.

Um belo dia, resolvi que iria comprar outro. Fui até a loja pesquisar os preços. Olha aqui, olha lá e não vi nenhum deles custando menos do que R$ 2.500,00. Rapidamente percebi que com o que iria gastar com um sofá era o mesmo que uma passagem aérea. Resultado: comprei a passagem e fui viajar. À partir daí, o sofá ficou e eu fui...
Apreciar a paisagem ao vivo é muito melhor do que
pela TV. Não acha ?

Interessante é que os exemplos estão sempre na sua frente: o sofá fica estacionado na sala o dia todo. Apenas por algumas horas durante a semana, você senta nele para assistir TV ou conversar. Só isso.

Uma viagem, por sua vez, faz com que você saia da rotina, mude de ares, veja e conheça coisas novas e, o mais importante, enche a sua bagagem cultural e a sua mente de lembranças boas. Sensações que nenhum programa de TV pode te propiciar por melhor que seja o seu aparelho de TV ou o sofá.

Tem gente que acha que viajar é um bicho de 7 cabeças, um sonho impossível de se realizar. Para essas pessoas tenho uma dica: pare, analise e tenha foco. Anote seus gastos por 3 meses e depois faça uma análise das contas. Você ficará surpreso com quantidade de gastos inúteis e besteiras que compramos no nosso dia-a-dia.

Para mim, o sofá foi o elemento motivador. Sei que um dia terei que me desfazer dele mas, enquanto isso, continuarei preferindo assistir TV em um outro assento: a poltrona do avião...


segunda-feira, 9 de junho de 2014

ACERTANDO AS HORAS COM O BIG BEN.

Big Ben: beleza e pontualidade britânica.
Justiça seja feita: o Big Ben é o relógio mais famoso do mundo. Projetado por Edmund Beckett Denilson e instalado em 1859, esse relógio de 98 metros de altura faz parte do conjunto arquitetônico do Parlamento Britânico e está instalado na Torre Elizabeth

Seu sino de 13 toneladas é responsável pelo inconfundível som que ressoa pelas ruas movimentadas de Londres. Além de famoso, ele pode ser considerado o mais pontual do mundo pois trabalha sincronizado com o Royal Greenwich Observatory, o famoso marco zero da hora mundial.

Diferentemente da Torre Eiffel, a primeira vista, o Big Ben pode não impressionar por sua altura, mas é impossível passar ou ficar indiferente ao seu lado. A riqueza dos detalhes dourados faz com que ele seja fotografado constantemente pelos turistas.

Parlamento Britânico.
A Ponte Westminster também é uma fiel colaboradora do destaque do Big Ben. Essa ponte é, com certeza, uma das mais fotografadas e pintadas da cidade. A versão atual da ponte foi inaugurada em 24 de maio de 1862 às 3h45 da manhã, em homenagem a data e hora de nascimento da rainha Vitória.

O conjunto de detalhes, história e agitação multi-cultural é o que torna Londres uma das cidades mais interessante do planeta. Ela tem cara de velha, mas é uma velhinha bem assanhada...

sexta-feira, 6 de junho de 2014

PADOVA OU PÁDUA ? NÃO IMPORTA. É LINDA DE QUALQUER JEITO.



Esse trem de 2 vagões praticamente corta
a cidade toda.
Não tinha muita noção do que encontraria na cidade de Padova ou Pádua. Sabia apenas que ali era a cidade onde Santo Antônio havia morado e onde suas relíquias estavam depositadas. Sabia também que se localizava próxima à Mestre, última cidade em terra firme antes de Veneza.

Fiquei surpreso com a beleza e organização desta cidade de 212 mil habitantes, da região do Vêneto: rios de águas límpidas, construções medievais, ruas largas e até um eficiente metrô de superfície capaz de causar inveja à qualquer capital brasileira.

Fomos de Mestre à Padova em um trem confortável e barato: 1,50 euros a perna e 20 minutos de viagem. A moderna estação ferroviária de Padova está localizada bem perto do centro da cidade, mas recomendo que utilize o metrô para ganhar tempo. O centro histórico é lindo com prédios antigos, igrejas e sofisticadas lojas de marca, além de um calçadão com restaurantes, cafés e lanchonetes.

Calçadão: prédios históricos e lojas de marca.
A Basílica de Santo Antônio está localizada no local chamado Campo del Santo. Ela é gigantesca e simples. Nela encontram-se as relíquias deste santo que nasceu em Lisboa, mas viveu grande parte de sua vida em terras italianas. Seu desejo era morrer em Padova mas acabou morrendo no caminho no dia 13 de junho de 1231, data de grandes festas e comemorações na cidade.

Além de Santo Antonio, a cidade é conhecida pelo seu Jardim Botânico, criado em 1545 e considerado o mais antigo do mundo. Outro ex-morador ilustre foi o astrônomo Galileu Galilei que ali viveu por 18 anos.

Basílica de Santo Antônio.
Independente do aspecto histórico ou religioso da cidade, conhecer Padova acaba sendo uma excelente opção de turismo bate e volta caso você esteja viajando para Veneza.

Links

Turismo Oficial de Padova
http://www.turismopadova.it/en

Facebook oficial
https://www.facebook.com/VisitPadova?ref=hl

Canal oficial no youtube
https://www.youtube.com/user/TurismoPadovaTerme

Instagram
http://instagram.com/visit_padova

terça-feira, 3 de junho de 2014

DICA: USANDO O ÔNIBUS EM LONDRES E PARIS

Foto tirada de dentro de um ônibus público em Londres:
ele fez o mesmo trajeto do ônibus turístico.
Um jeito de economizar e, ao mesmo tempo, conhecer a cidade é andar de ônibus. Se você mora em São Paulo e ficou arrepiado com isso, não se preocupe: na Europa transporte público é sinônimo de pontualidade e conforto.

Claro que nem tudo é perfeito e, dependendo do horário, você vai embarcar em ônibus e trens de metrô cheios, porém, dentro do normal e muito longe dos apuros que os paulistanos ou cariocas enfrentam nos seus dia-a-dia.
São cheios, mas não lata de sardinhas...

Além da pontualidade, a quantidade de linhas e ônibus disponíveis é enorme. Na maioria das linhas de ônibus de Paris ou Londres, a espera não ultrapassa 10 minutos. E o melhor: os painéis dos pontos de ônibus informam o tempo de chegada da sua linha.

Andar de transporte público, além da economia, oferece ainda a possibilidade de sentir a cidade e o seu dia-a-dia. E o melhor, gastar muito pouco.



Ônibus em Paris

Em Paris, os tickets são adquiridos diretamente com o motorista. Ao lado dele há uma máquina que valida o bilhete. É comprar, validar e pronto. Na última viagem fiquei em um hotel próximo às Gare du Nord e Gare du Est. Fiquei freguês da linha 30 que liga a Gare du Est ao Trocaderó.

Por 2 euros eu passava em diversos pontos turísticos como a Sacre Creaux, Pigalle, Arco do Triunfo e, finalmente, Trocaderó, local onde se tem a melhor vista para a Torre Eiffel. Em todas as viagens fui confortavelmente sentado.

Ônibus em Londres

Cartão Oyster: preços mais baixos e o seu dinheiro de volta,
caso não queira levar o cartão para casa.
Assim como Paris, Londres também oferece um transporte coletivo excelente e com muito mais opções. A diferença é que lá, você deve utilizar um cartão chamado Oyster.

Ele é adquirido nas bilheterias do metrô e custa 5 libras, valor é devolvido caso você não queira ficar com o cartão.
Após abastecê-lo com créditos você pode se locomover em todos os transportes públicos.

Os famosos ônibus londrinos de 2 andares, tornam o passeio mais divertido. A entrada é pela porta da frente e, ao lado do motorista, você já encontra a máquina onde você deverá encostar o cartão. Depois disso é subir a escada, sentar no primeiro banco e apreciar a paisagem através de uma enorme janela.

A frequência, limpeza e pontualidade dos ônibus são excepcionais. A dica é andar sempre com o mapa das linhas no bolso.



sábado, 31 de maio de 2014

As famosas "Máscaras de Veneza" ou chinesas ?

legítimas máscaras venezianas.
Que os chineses têm a extrema capacidade de copiar e produzir de tudo isso ninguém discute. Se eles foram capazes de erguer uma réplica - em tamanho natural - da esfinge egípcia dentro de um parque chinês, imagine a "festa" que fazem com outros tipos de lembrancinhas turísticas.

Jurando pela cabeça da Rainha Maria Antonieta, afirmo que famoso chaveirinho de Torre Eiffel nem de longe foi produzido na França, assim como os imãs de geladeira de Roma, as camisetas de Madrid e, é claro, muito das máscaras de carnaval de Veneza.

Porém, na eterna cidade das águas, literalmente o buraco é um pouco mais embaixo. Preocupados com a invasão chinesa das cópias, a cidade se preparou para enfrentar o exército dos xing-lings criando um selo que atesta a procedência das máscaras e demais lembranças. Em alguns produtos, o detalhe é uma chancela com cera vermelha que, diga-se de passagem, até dá um charme a mais para a peça.

Máscaras e fantasias.
Até aí é fichinha: reproduzir selos e atestados não é uma tarefa difícil para ninguém. O interessante nessa guerra de gifts turísticos é que o comércio veneziano faz questão de falar e brigar para que o turista leve uma máscara produzida na cidade. E eles ficam bravos quando você questiona a procedência.

É claro que na  questão das máscaras de Veneza há gritantes diferenças de preços. Você pode comprar uma bela máscara por 25 ou por 250 euros, vai depender do local e do artista que a produziu.

As máscaras mais tradicionais - e caras - são produzidas em papel marchê ou porcelana. As mais em conta são feitas de plástico ou resina. Perdidos nas estreitas vielas da cidade é possível localizar alguns ateliês históricos mas, nesses lugares, esqueça a questão preço. Ali as máscaras são verdadeiras obras de arte.

Mesmo com essa proteção comercial, muitas lojas comercializam máscaras e lembranças a preços bem camaradas. Se você não se importa com a procedência das máscaras, prepare-se para sair com sacolas de lembranças suficiente para "equipar" a família toda... e a vizinhança !

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Vídeo da Semana: Cemitério dos Escravos - Louveira - SP


Na cidade de Louveira, interior de São Paulo, há alguns mistérios indecifráveis. Um deles é o Cemitério dos Escravos, localizado na Fazenda Barreiro, centenária propriedade da Família Mesquita, do Jornal "O Estado de São Paulo".

Com a falta de preservação, o local praticamente foi engolido pelo mato. Ainda é possível avistar o antigo muro de pau a pique que cercava o local. Seguindo algumas trilhas, aos poucos vai se descobrindo os antigos túmulos pertencentes aos escravos que moravam na fazenda Barreiro e nas demais da vizinhança. Estima-se que o local tenha mais de 150 anos.

Muitas histórias dignas de filmes de suspense são contadas sobre o local como murmúrios e choros à noite. Venha comigo descobrir esse misterioso local...



terça-feira, 27 de maio de 2014

JARDINS DE MONET - ROTEIRO COMPLETO PARTINDO DE PARIS


Flores e cenários dignos de uma obra-prima.
Visitando a casa do Monet

Falar em Monet é chover no molhado. O pintor é o principal artista do movimento impressionista e só isso já o torna uma unanimidade. Durante anos o artista morou na pequena cidade de Giverny, interior da França e ali cultivou praticamente todas as suas pinturas. Sim, ele formou um lindo jardim que inspirou inúmeros de seus quadros.
Visitar os jardins de Monet é, antes de tudo, uma deliciosa viagem e uma ótima pedida de turismo bate e volta. 



É muito fácil ir de Paris para Giverny. Abaixo você tem o passo-a-passo do roteiro.

1 - O trem para a cidade de Vernon parte da Gare Saint Lazare e, dependendo do horário, custará por volta de 26 euros ida e volta. Recomendo ir pela manhã para aproveitar melhor o dia. Há um trem partindo as 8h18.


Entrada da Gare Saint Lazare
O horário das 08h18 para Vernon é o ideal para aproveitar o dia.
O ticket pode ser comprado na hora através desses quiosques.

2 - Chegando à estação, você deve embarcar em um ônibus que vai direto para Giverny. O custo do ticket ida e volta é de 8 euros. Tudo é muito facilitado para o turista uma vez que os horários dos ônibus casam com os horários de chegada dos trens.

O ônibus o deixará próximo à entrada do parque.
A bilheteria fica na pequena rua paralela à estrada. Basta seguir as placas e os turistas.

3 - O percusso do ônibus é de 15 minutos e o ponto final é no estacionamento do jardim. Caminhando uns 300 metros você estará na bilheteria. O ingresso custa 9,50 euros. O ônibus da volta parte as 14 hs, tempo suficiente para um calmo e proveitoso passeio.


O trem é rápido e muito confortável.
4 - O trem de retorno também irá parar na Gare Saint Lazare. Dali você pode voltar para o hotel tanto de metrô quanto por ônibus.

Dicas úteis

- Dentro do jardim não é permitido pic nic e nem tem local para comprar lanches. Há um restaurante do lado de fora do parque que, além de refeições, vende lanches. Um lanche custa entre 5 a 7 euros.

- Há uma grande loja de lembranças na entrada/saída do jardim. 

A dica é: se for comprar algumas pequenas lembranças, faça isso logo na entrada pois as filas são enormes na saída.

- É expressamente proibido fotografar dentro da casa do Monet.


Paisagens de tirar o fôlego.


Casa de Monet

Sobre o jardim

Se você gosta de flores, ali é o local certo para ver uma infinita quantidade de tipos, cores e perfumes. O parque fica fechado durante o inverno e reabre no inicio de abril. Recomendo visitá-lo no final de maio ou meados de junho. 

Além do parque, você visita a casa do pintor e conhece um pouco mais sobre sua intimidade. 

Se você um dia sobrando em Paris, essa é uma ótima opção de bate e volta.

Links úteis

Fundação Monet - compra antecipada de ticket - http://www.fondation-monet.com/fr/

segunda-feira, 26 de maio de 2014

ROTEIRO PARA CURTIR PARIS EM 3 DIAS.

Torre Eiffel vista do Trocaderó
PRIMEIRO DIA

Já que chegou em Paris, o primeiro dia deve ser especial. Comece pela famosa e charmosa Torre Eiffel. Se você estiver hospedado nas imediações da Gare Du Nord, Pigalle, Montmatre ou Gare de Est, utilize o ônibus nº 30. Além de ser mais prático, andar de ônibus já é um passeio à parte porque você vai se familiarizando com os bairros.
Esse circular sai da Gare de Est, sobe o Boulevard Magenta e percorre um circuito com várias atrações turísticas como a Catedral de Sacre Creaux, bairro do Pigalle (Molin Rouge), Arco do Triunfo e, finalmente, Trocaderó que é o ponto final e principal local de contemplação da Torre Eiffel.
O ticket é adquirido junto ao próprio motorista e custa 2 €. Todo o trajeto dura cerca de 40 minutos com o trânsito normal.
As 22 horas a Torre se acende e apresenta um lindo espetáculo de luzes. O trajeto da volta é exatamente o mesmo.

Com essa dica você pode programar o dia da seguinte maneira:

Se o passeio for pela manhã:
desça no Arco do Triunfo (Praça Charles de Gaulle) e, a pé, passeie pela Av. Champs Elissé, o point das compras chiques, até a Praça da Concórdia (ao lado do Museu do Louvre). Se tiver energia e disposição, aproveite e visite o museu.

Se o passeio for à tarde/noite:
Vá direto para o Trocaderó e visite a Torre com muita calma. Enquanto você tira milhares de fotos dela, o tempo passa e, às 22hs vibre com o show de luzes.


Paris

SEGUNDO DIA

Bom, se o primeiro dia foi meio cansativo, aproveite o segundo dia para conhecer o centro histórico e alguns museus e exposições interessantes. Quase no final da Champs Elissé localiza-se o Grande Palácio, o Pequeno Palácio e, no final da ponte, você já avista Les Invalidês, onde estão o museu de guerra e o túmulo de Napoleão.
Todo esse trecho pode ser feito a pé. Uma dica, aproveite para caminhar pela calçada ao lado do Rio Sena. É muito bonito, seguro e tranquilo.

TERCEIRO DIA

Nesse roteiro de 3 dias não poderia ficar de fora o Castelo de Versalhes. Saindo da estação Gare Du Nord você adquire uma passagem de trem para a linha RER C que vai direto para lá.
Fique atento às informações pois pode ser que o castelo feche por manutenção e ai vc perderá as passagens.



Na próxima postagem vou falar sobre os Jardins de Monet.

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Selfies no Tussard


Esse é, sem dúvidas, o melhor museu de cera do mundo. As imagens são perfeitas em todos os detalhes e, o mais interessante, você pode "interagir" com todas elas e fazer "selfies" à vontade, assim como fiz com meu amigo Steve...


sexta-feira, 18 de abril de 2014

Essa dica vale até para os paulistas: 30 programas imperdíveis em São Paulo.


A São Paulo Turismo, empresa oficial de turismo da cidade de São Paulo separou 30 programas considerados tipicamente paulistanos e que deveriam ser experimentados por todos paulistas ou turistas.

São Paulo é uma cidade antenada, de vanguarda, geradora de tendências, estilos e costumes. Capital dos negócios, da cultura, do entretenimento e da gastronomia na América Latina, é uma cidade global, formada por pessoas de mais de 70 diferentes nacionalidades e descendências.
  • Comer sanduíche de mortadela e pastel de bacalhau no Mercado Municipal;
  • Conferir os Cantos Gregorianos do Mosteiro de São Bento;
  • Assistir a um concerto na Sala São Paulo ou no Teatro Municipal
  • Apreciar a vista da Torre do Banespa;
  • Assistir à montagem de um musical da Broadway numa das casas de espetáculos;
  • Fazer um roteiro de compras entre a Rua 25 de Março, os bairros do Brás e do Bom Retiro;
  • Jantar no Terraço Itália apreciando a vista em 360º de São Paulo;
  • Visitar um dos grandes museus da cidade, como Masp e Museu do Ipiranga;
  • Curtir os bares da Vila Madalena e as baladas da Vila Olímpia;
  • Visitar o Parque do Ibirapuera e suas atrações;
  • Fechar a noite numa das inúmeras padarias 24 horas da cidade;
  • Caminhar à noite pela Avenida Paulista;
  • Visitar o diferente Museu da Língua Portuguesa e a incrível Pinacoteca, ambos na Luz;
  • Conhecer centenas de espécies de animais no Zoológico e dar uma esticada até o Jardim Botânico;
  • Conferir o cardápio de uma das cantinas do Bixiga;
  • Visitar a rota das grandes grifes internacionais na rua Oscar Freire e no Shopping Iguatemi;
  • Tomar um chá no restaurante Skye, do Hotel Unique;
  • Assistir a um páreo no Jockey Club;
  • Subir no Pico do Jaraguá;
  • Passar um dia relaxando em um dos vários spas, com direito a banho de ofurô e massagem relaxaste;
  • Visitar as feiras da Liberdade e da Praça Benedito Calixto;
  • Ir a uma das 6.000 pizzarias da cidade;
  • Conferir uma corrida no Autódromo de Interlagos;
  • Assistir a um jogo no Estádio do Pacaembu;
  • Passear em umas das mega livrarias de São Paulo, como a Cultura, do Conjunto Nacional, e a Fnac, na Paulista;
  • Visitar uma das centenas de exposições da cidade;
  • Tomar um café em uma das cafeterias internacionais, como Havana e Starbucks;
  • Passear pelo Centro Histórico, passando pelo Pateo do Collegio, Largo São Francisco, Marco Zero e Catedral da Sé;
  • Visitar uma grande feira em um dos centros de convenções paulistanos, como o Parque Anhembi;
  • Participar de um ensaio em uma quadra de escola de samba.
Como paulista, incluiria mais algumas dicas:
  • Visitar a feira de antiguidade aos domingos pela manhã no vão do MASP;
  • Parque do Carmo na zona leste da cidade;
  • Para quem curte peixes, visitar o Parque Aquaius em Itaquera.
  • Catedral da Sé;
  • Fazer compras de eletrônicos na região da Santa Ifigênia;
  • Galeria do Rock no Largo do Paisandu.
Você tem mais dicas sobre passeios na cidade de São Paulo ? Comente...


quarta-feira, 16 de abril de 2014

Praia do Muro Alto é tudo de bom...

Praia do Muro - mesas e cadeiras dentro da água
Muro Alto é uma das belíssimas praias do litoral sul de Pernambuco e que vem sendo, infelizmente, tomada pela especulação imobiliária que assola Porto de Galinhas, a vila mais top e popular da cidade de Ipojuca.

Ao redor dessa imensa piscina de água salgada - que se forma com as marés - inúmeros resorts e hotéis de luxo estão sendo construídos o que ameaça esse verdadeiro paraíso.

Um grande muro de recifes com 2,5 km de extensão garante a formação dessa piscina de águas quentes e tranquilas. O local é ideal para a prática de caiaque, standup e vela.

O acesso é feito somente por carros pequenos e, no local, o turista encontrará poucas e boas barracas de comida que oferecem porções de camarões e peixes com preços razoáveis. Na Barraca da Ana, por exemplo, um prato com um peixe cioba frito acompanhado de macaxeira saí por R$ 60,00 (o peixe pesa em média de 700 gramas). Cervejas e refrigerantes com preços normais para uma praia linda como essa.

O paredão de recifes com 2,5 km de comprimento garante
a formação dessa piscina natural gigantesca.
Essa é uma praia que você deve curtir sem pressa para ir embora. O ideal é chegar pela manhã e aproveitar o vai e vem das marés que faz o nível da lagoa aumentar e diminuir com o passar das horas. Com isso você corre o risco de ficar com a mesa e cadeiras literalmente dentro da água.

Fizemos esse passeio de bugue com o Dinho, um motorista educado, prestativo e sem pressa para voltar. A diária para duas pessoas custou R$ 150,00 o dia.

O contato do Dinho é 081-8636 4563 ou 081-81754703