Seguro

sábado, 31 de maio de 2014

As famosas "Máscaras de Veneza" ou chinesas ?

legítimas máscaras venezianas.
Que os chineses têm a extrema capacidade de copiar e produzir de tudo isso ninguém discute. Se eles foram capazes de erguer uma réplica - em tamanho natural - da esfinge egípcia dentro de um parque chinês, imagine a "festa" que fazem com outros tipos de lembrancinhas turísticas.

Jurando pela cabeça da Rainha Maria Antonieta, afirmo que famoso chaveirinho de Torre Eiffel nem de longe foi produzido na França, assim como os imãs de geladeira de Roma, as camisetas de Madrid e, é claro, muito das máscaras de carnaval de Veneza.

Porém, na eterna cidade das águas, literalmente o buraco é um pouco mais embaixo. Preocupados com a invasão chinesa das cópias, a cidade se preparou para enfrentar o exército dos xing-lings criando um selo que atesta a procedência das máscaras e demais lembranças. Em alguns produtos, o detalhe é uma chancela com cera vermelha que, diga-se de passagem, até dá um charme a mais para a peça.

Máscaras e fantasias.
Até aí é fichinha: reproduzir selos e atestados não é uma tarefa difícil para ninguém. O interessante nessa guerra de gifts turísticos é que o comércio veneziano faz questão de falar e brigar para que o turista leve uma máscara produzida na cidade. E eles ficam bravos quando você questiona a procedência.

É claro que na  questão das máscaras de Veneza há gritantes diferenças de preços. Você pode comprar uma bela máscara por 25 ou por 250 euros, vai depender do local e do artista que a produziu.

As máscaras mais tradicionais - e caras - são produzidas em papel marchê ou porcelana. As mais em conta são feitas de plástico ou resina. Perdidos nas estreitas vielas da cidade é possível localizar alguns ateliês históricos mas, nesses lugares, esqueça a questão preço. Ali as máscaras são verdadeiras obras de arte.

Mesmo com essa proteção comercial, muitas lojas comercializam máscaras e lembranças a preços bem camaradas. Se você não se importa com a procedência das máscaras, prepare-se para sair com sacolas de lembranças suficiente para "equipar" a família toda... e a vizinhança !