Seguro

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

A mala mínima

"A sua mala deve voltar cheia de objetos que te façam reviver as experiências, não de bugigangas"- Eduardo Sona

 A cada nova viagem me questiono qual o tamanho ideal da mochila ou da mala que devo levar. Será
que vale a pena viajar carregando parte de sua casa ou com muito espaço para ocupar com objetos e coisas que te façam reviver as boas - e más - experiências ?

Nas minhas últimas experiências, notei que a mochila saindo de casa cada vez mais vazia com apenas camisetas, cuecas, sandália, kit de remédios, segunda pele e só. Minhas traquitanas eletrônicas andam ocupando cada vez mais espaço. O bom é que eu quero diminuir a mala ainda mais.

No que diz respeito aos eletrônicos, a cada ano a coisa vai ficando mais prática. Lembro que em 2009 quando passei 20 dias batendo perna na Itália, levei um notebook pesado e uma handycam leve.

Muito, mas muito melhor do que quando viajei para a Disney nos anos 90 e passei os dias carregando uma câmera VHS. Hoje, um bom celular faz o papel de computador e câmera com qualidade e praticidade. Ah, esqueci, você ainda consegue telefonar para a família.

Voltando à mala de roupas. O que fazer ? Em primeiro lugar, qualquer que seja o seu destino, sempre haverá um comércio legal com roupas diferentes, bonitas, resistentes e... baratas.

Em qualquer H&M vc acha camisetas de qualidade por 5 ou 7 euros. Se visitar a Decathlon então, é possível achar camisetas com as marcas produzidas pela loja por 2 euros. Acredite: comprei uma da marca Domyos em Paris que, mesmo após anos de máquina de lavar, está novinha !

Aí eu me pergunto: para que levar 500 mil camisetas usadas se, gastando quase nada, posso comprar algumas novinhas ?

"Você fala isso porque é homem... e nós, mulheres ?" pergunta a namorada.
A resposta é rápida: é uma oportunidade de entrar nas lojas e comprar roupas novas.
Na maioria das vezes, essa resposta funciona.

Mulheres gostam de levar roupas que combinam com sapatos, brincos, etc.

Se você é uma viajante experiente vai concordar com o que vou escrever: mais da metade do que as mulheres carregam nas malas volta intacta, dobradinha e limpa. Após despachar a mala, vai passar a viagem inteira arrastando o trambolho de rodinhas por todo lado e, quando desfazer a dita cuja vai chegar a conclusão de que levou roupas demais.

Leve o suficiente e o básico. Complemente a mala com alguns acessórios tipo "coringa"como uma segunda pele, cachecol, luvas e gorro se o seu destino faz frio. Agora, se o destino é praia, melhor ainda: camisetas e biquinis não pesam nada e ocupam pouco espaço.

Certa vez em um hostel em Roma, conversando com um brasileiro que havia feito o Caminho de Santiago de Compostela, ele disse que iniciou a jornada com uma mochila carregada de roupas. Durante a caminhada, foi percebendo de que não precisava de tudo aquilo para seguir o caminho. Na metade da jornada, sua bagagem se resumia a 2 camisetas, calção, meia e cueca. Ele preencheu o espaço vazio da mochila com a experiência.