fique por dentro

Loading...

sexta-feira, 27 de junho de 2014

VÍDEO DA SEMANA: VAMOS DAR UMA VOLTA EM FLORENÇA ?

A cidade de Florença é conhecida como o berço do Renascimento. No passado, artistas como Leonardo Da Vinci, Michelangelo e outros grandes nomes da arte circulavam alegremente por suas ruas. A cidade está localizada na região da Toscana, famosa por suas paisagens, vinhos e boa comida.

Clique no vídeo e conheça um pouco mais sobre essa linda cidade.



quinta-feira, 26 de junho de 2014

ALEXANDRE III - A PONTE MAIS BELA DE PARIS

Detalhe de uma das colunas da Ponte Alexandre III
Paris é famosa por inúmeras atrações, entre elas, suas pontes. Para mim, uma das mais bonitas é a Ponte Alexandre III com suas inúmeras esculturas douradas e arquitetura.

Como não poderia deixar de ser, ela atravessa o Rio Sena e compõem o conjunto arquitetônico ao lado do Grande Palácio e Pequeno Palácio.

Sua construção foi iniciada em 1896 e marcou a aliança entre a França e Rússia, daí a homenagem ao Czar Alexandre III. O que chama atenção nessa ponte são as gigantescas estátuas de querubins, ninfas e cavalos alados. Todas essas obras dão um visual incrível para a produção de lindas fotos.

O difícil é escolher os infinitos ângulos para as fotos.
Por sua beleza, a ponte Alexandre III também atraí inúmeros noivos e noivas devidamente paramentados para fotos, e isso não é nenhuma cena rara. Basta apenas que o dia esteja bonito.

Essa ponte também foi cenário de inúmeros filmes, entre eles, Meia Noite em Paris (cena final). É por esse e outros espaços que a cidade de Paris se destaca e se torna uma excelente opção de viagem.

Além disso, visitar essa e outras pontes não precisa de dinheiro, basta um mapa e disposição para caminhar pela cidade.

Ao fundo, o Grande Palácio.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

TURISMO HISTÓRICO: ALGUMAS CURIOSIDADES SOBRE O RAMAL FERROVIÁRIO ITATIBENSE.

Antiga estação Paraizo.
O ramal Itatibense, embora curto, foi uma das principais vias de acesso para o desenvolvimento dos estados de São Paulo e Minas Gerais.

Durante alguns anos, esse pequeno trecho de 20 km possibilitou a comunicação entre as cidades do sul de Minas Gerais com São Paulo, Campinas e o Porto de Santos.

Durante a Revolução de 32, essa linha foi muito utilizada para o transporte dos soldados paulistas que rumavam em direção à Bragança Paulista na tentativa de "segurar" a invasão do exército mineiro.

Outras curiosidades sobre esse ramal:


  • A baixa velocidade dos trens e o terreno íngreme faziam com que a viagem durasse até 2 horas para ir de Louveira à Itatiba;
  • O ramal foi oficialmente paralisado em 1953 após anos de funcionamento deficitário;
  • Ainda restam alguns pedaços de muro e plataformas das estações espalhados ao longo da Rodovia Romildo Prado;
  • Mais informações sobre este ramal você pode conferir no Documentário "Gare Louveira"
  • O trajeto do ramal era semelhante ao trajeto atual da Rod. Romildo Prado

sábado, 21 de junho de 2014

PARA QUEM É FÃ DO DOCTOR WHO...

Mais um pouco entrava nela e sumia...kkk
Doctor Who. Você o conhece ? Não ? É uma pena pois trata-se de um dos seriados de ficção mais antigo da TV mundial além de ser um ícone da cultura britânica. Produzido pela BBC, a série conta as aventuras do último Senhor do Tempo, um doutor meio maluco porém genial que viaja em sua máquina do tempo x espaço chamada TARDIS (essa cabine da foto ao lado).

Nos últimos anos, a série passou a ganhar espaço em outros países, principalmente nos Estados Unidos, graças a uma eficiente ação de marketing. Até os personagens nerds da série americana Big Bang Theory já reverenciaram a série em diversos episódios.

Porém, quem vai para Londres na esperança de achar a famosa cabine azul e tirar umas fotos ao lado dela, fica um pouco decepcionado. Procurei bastante e, finalmente, a encontrei.

O jeito mais fácil  de resolver isso, seria visitar os estúdios da BBC e o parque temático da série na cidade de Cardiff, porém, um pouco longe de Londres.
http://www.doctorwhoexperience.com

Encontrei essa cabine em uma loja de lembranças, bem próxima à estação de metrô Baker Street. Como referência para se achar a loja, há uma estátua de Sherlok Holmes bem em frente a essa loja. Na outra quadra, você tem o Museu de Cera de Madame Tussard's. Aí fica mais fácil.

Essa cabine é, na verdade, um quiosque de produtos da série. No dia que passei haviam poucos itens interessantes. Como o meu objetivo era levar uma TARDIS, acabei comprando um cofrinho de aço por 8 pounds.

Whomaniacs, está aí a dica...

quarta-feira, 18 de junho de 2014

OS NOSSOS - E OS VOSSOS - PROBLEMAS...

Aeroportos brasileiros: faltam metrôs interligando.
Na semana passada a revista britânica The Economist publicou uma matéria falando sobre os problemas do Brasil, comparando-os com as dificuldades encontradas em outras grandes cidades.

Com o título "Traffic and tempers" (trânsito e humores), a matéria compara, através de depoimentos de vários turistas estrangeiros que os problemas brasileiros são idênticos aos de seus países. Trânsito, aeroportos, burocracia não são privilégios apenas dos brasileiros, mas de todo o mundo.

Não vou afirmar que lá fora tudo funciona às mil maravilhas. Há problemas, e muitos. Na Europa, por exemplo, a questão do aumento de imigrantes africanos e do leste europeu somada à crise econômica e envelhecimento da população, vem modificando o "estilo primeiro mundo" de se viver. Hoje franceses, italianos e ingleses, por exemplo, convivem com pedintes, batedores de carteira e outros problemas sociais muito comuns no Brasil.

Outro fator que deve se levar em conta é que, quando se está viajando à turismo, tudo se transforma ao seu redor. Se isso acontece com os brasileiros que vão lá pra fora, acontece com os turistas estrangeiros que aqui chegam. O que faz com que o gringo fique admirado e fã do Brasil é, sem dúvida, o jeito carinhoso do brasileiro ao receber os visitantes, a nossa comida, o sol, o calor, as praias, enfim, um conjunto único que é capaz de esconder muitas falhas e defeitos do dia-a-dia.
Praia, sol e dinheiro no bolso: precisa de mais alguma coisa ?

Outro ponto importante e que faz muita diferença, é que o gringo chega ao país carregando moedas fortes, o que faz com que o custo da viagem fique bem mais atraente.

Para quem vive diariamente a batalha dos metrôs e ônibus paulistas e cariocas, a coisa é muito diferente. Tem ônibus cheios em Paris ? claro que tem, mas em compensação, tem muitos veículos e linhas à sua disposição. Faltam táxis nos aeroportos brasileiros ? Além de táxi faltam ônibus, trens e metrôs ligando o aeroporto ao centro da cidade, como acontece com a maioria dos aeroportos do exterior. Aliás, lá fora os turistas até evitam usar os táxis. Como há opções mais baratas como os ônibus e trens, os táxis são usados como último recurso.

Na verdade, o que vem desanimando e cansando o brasileiro é uma série de fatores: infra-estrutura falha, políticos corruptos, violência, impunidade, altos impostos x baixo retorno, saúde, etc. Passar um mês por aqui com dinheiro no bolso, sol, praias e mulheres bonitas é fácil. O difícil é conviver diariamente com os problemas e sem para onde correr.

Matéria publicada no UOL.
http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2014/06/13/gringos-provam-que-os-problemas-nao-sao-so-no-brasil-e-reclamam-tambem.htm

DICAS DE COMPRAS EM LONDRES: PICCADILLY CIRCUS

Piccadilly Circus.
Que Londres é uma cidade cara ninguém tem dúvidas, principalmente para nós, brasileiros, que recebemos em Reais e temos que gastar em Libras Esterlinas. Com uma diferença de quase 4 reais para 1 libra, ou pound, o bicho pega na hora das compras.

Porém, ah porém, coisas estranhas acontecem na terra da rainha. Mesmo com essa brutal diferença de valores entre as nossas moedas, é possível realizar boas compras de roupas e tênis em um dos principais pontos turísticos da cidade: Piccadilly Circus.

Não é a toa que essa mistura de praça com cruzamento de várias avenidas, é uma das mais movimentadas da cidade: ali você tem teatros, lojas, restaurantes, metrôs e turistas do mundo todo. Como a idéia é comprar, aí vai uma dica: aquele prédio da foto (LyllyWhites) abriga uma das maiores e melhores lojas de artigos esportivos: a esporte.com.

Apesar de estar sempre lotada, o atendimento é rápido e os preços imbatíveis. Quer um exemplo ? Tênis de couro da marca Everlast por R$ 64,00 ou camisetas da mesma marca por apenas R$ 25,00 ! Uma mala grande de viagem da marca Dunlop custa apenas R$ 70,00. Isso sem contar outros tipos de artigos esportivos e equipamentos.

A melhor maneira de se chegar lá é de metrô, uma das saídas da estação Estação Piccadily Circus fica bem em frente à loja. Não tem como errar.


Oxford Street.

Bem próximo a ela você encontrará uma das maiores lojas de gifts da cidade: a Cool Britannia. Os preços são um pouco salgados, mas nada que fará você desanimar. As camisetas oficiais com a famosa frase do metrô londrino, "Mind The Gap", são vendidas por 13 libras ou 52 reais.

Outro ponto turístico de compras da cidade é a Oxford Street. A movimentação nessa avenida é algo assustador assim como o tamanho das lojas.  Ali tem de tudo: de lojas de marcas à supermercados. 
A dica é exercitar a sua paciência, fazer uma rápida meditação, preparar o cartão e go !

segunda-feira, 16 de junho de 2014

UM PROJETO PARA PRESERVAR A HISTÓRIA DAS FERROVIAS.

Estação de trem de Louveira, interior de São Paulo.
Os patrimônios históricos das pequenas cidades brasileiras passam por enormes dificuldades. Abandono, depredações, roubos, pichações são alguns exemplos de como nós, brasileiros, cuidamos de nossa história.

Quem já teve a oportunidade de viajar para a Europa ou Estados Unidos, por exemplo, encontrou inúmeros prédios históricos bem conservados e em funcionamento. Muitos deles operando como museus, pontos de informação turística ou até mesmo restaurantes ou lanchonetes. Independente dos governantes, a população se preocupa em cuidar do que é seu e reconhece a importância desses prédios para a história da cidade.

No Brasil é gritante o estado de abandono das estações ferroviárias. Principais vias de acesso de mercadorias, passageiros e notícias, as estações de trem contribuíram para o surgimento de centenas de cidades espalhadas pelo interior até meados do século passado. Com a opção de se investir em rodovias, aos poucos as ferrovias foram sendo esquecidas e sua importância diminuída até chegar próximo de zero.

Pelos trens chegavam e saiam pessoas e mercadorias. O que antes eram pequenos vilarejos, com o passar dos anos, se transformaram em importantes cidades como é o caso de Jundiaí e Louveira. A história da estação de trem de Louveira é muito interessante pois ela foi a primeira a ser eletrificada na América Latina e, graças a sua interligação com o ramal Itatibense, passou a ser o principal entreposto de entrada e saída de mercadorias do interior paulista e sul de Minas Gerais em direção ao Porto de Santos.

Uma das iniciativas de se preservar a história desse local é a revista e documentário que estão sendo lançados pelo jornalista Eduardo Sona e pelo designer René Monterrey. Após pesquisas, entrevistas e levantamentos de fotos e filmes antigos, os dois realizaram um registro completo que conta a história e, principalmente a importância dessa linha.

A revista e documentário deverá ser lançada em junho em toda a região. Em agosto, será montada uma exposição itinerante que visitará escolas e bibliotecas de Jundiaí, Louveira, Vinhedo e Campinas.

Mais informações pelo email: eduardo.sona@gmail.com