Seguro

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

RESUMO DE VIAGEM

Ola pessoal.
Depois de um tempinho fora, voltei com carga total pro projeto Mochileiro40tao. No inicio do ano, fiz uma longa viagem pela Itália com direito a uma corridinha de 2 dias para a Suíça, mais precisamente, na capital Berna.
De lá pra cá, acabei viajando para Fortaleza e para as serras gaúchas. Um resumo do que posso dar da viagem para a Itália é que vale a pena, apesar do mau humor dos italianos e da instabilidade financeira que passa o País. O local além de ter história esbarrando em você a cada esquina, é muito bonito.

Roma:

Após chegar em Milão, peguei uma conexão e fui direto pra Roma. Chegando no aeroporto Leonardo Da Vinci, peguei um trem (sai de dentro do aeroporto mesmo - segundo andar) direto para a Estação Termini, a principal estação de trem da cidade. O valor do transporte é de 11 euros. Uma dica que dou é ir de Onibus. Demora um pouco mais, mas em compensação você desenbolsa apenas 7 euros. Acredite, 4 euros da pra você comer um lanche no McDonalds.
Em Roma, fiquei no albergue da juventude, perto do parque olimpico. É afastado da cidade, mas perto do Vaticano. Dá pra ir rezar a pé tanquilamente. O albergue é enorme e limpo. O custo da hospedagem é de 20 euros sem café da manhã.
Se você se contentar em beber um capuccino e comer um pão doce, desenbolse mais 1 euro no restaurante do proprio albergue. Como fui no mês de fevereiro, a temperatura é bem baixa, perto do zero grau.

Dicas:
- Leve um cadeado para seu armário. Se resolver comprar no albergue vc vai gastar 5 euros;
- Comece a viajar com um netbook. Usar o computador do local com internet custa 3 euros a hora;
- Esse albergue pede carteirinha, portanto, leve-a sempre.
- Não tem lavanderia;
- O restaurante é simples, mas a comida é boa e barata.
- Lembre-se sempre de comprar o cartão para o ônibus e metrô no próprio albergue, custa 1 euro por 75 minutos de transporte público;
- Não se assuste com o atendimento: o recepcionista tem cara de mal, mas é gente fina.

Firenze:

De Roma, peguei um trem para Firenze, ou Florença. São 2h30 de viagem no trem de alta velocidade. Cheguei por volta das 11 da manhã e fui direto para o albergue. Fiquei no Florence Plus, uma rede de hostels bem moderninha. Os quartos são equipados com TV, banheiro privativo, camas novas, aquecimento na medida e um restaurante bem equipado. Alias, o hostel tem até uma baladinha movimentada no sub-solo.
Como ele estava fechado para limpeza e só poderia fazer minha ficha depois das 15 horas, deixei a mochila no depósito do hostel e fui bater perna pela cidade.
Para quem não se lembra das aulas de história, Florença é a capital do Renascimento. A cidade é linda e você tem muitos museus e opções de lazer.

Atrações imperdíveis:
- Museu Ufficio;
- Catedral Duomo;
- David do Michelangelo;
- Ponte Vechia e seu mercado de jóias e ouro;
- Praça do Museu Ufficio com um monte de estátuas que você só tinha visto nos livros do colégio;
- Mercado Municipal e seus lanches ultra-mega-super apimentados;
- Feirinha de roupas de couro e outros artigos nas ruas ao redor do mercado;
- Fortaleza;

De Florença, você pode pegar um trem e ir conhecer a Torre de Pisa, que fica a menos de uma hora de lá. Vale muito a pena ir para Pisa. A cidade é pequena, bonita, limpa. A atração turistica só é a torre mesmo.

Veneza:

Pegando o trem em Florença, segui para Veneza. Minha previsão era de ficar 3 noites na cidade. Sabia que iria chegar bem no inicio do carnaval, só não esperava que os preços - que geralmente são os mais caros da Europa - seriam tão absurdos assim.
Desci na Estação de Santa Lucia e fui atras de informações. O hostel que peguei ficava numa das ilhas afastadas da Praça de San Marco, daí, iria ter que pegar o ônibus aquático toda hora. Meu susto foi o de constatar que cada hora de busão marítimo eu teria que desenbolsar 6 euros.
Você pode comprar bilhetes multiplos, mas os preços continuam bem altos.
Além disso, o hostel é muto antigo e com mais de 16 pessoas no mesmo quarto. Confesso que me senti um verdadeiro pedreiro trabalhando na construção da Torre de Babel: tinha um representante de cada país dormindo no mesmo local.
Pra variar, um monte de brasileiros estava por la também.
Como vi que iria quebrar o meu planejamento, resolvi conhecer a cidade e verificar se valeria a pena ficar os 3 dias previstos.
Bom, resumo do história: em um único dia conheci toda a cidade, tirei fotos, visitei museus e igrejas e comi kebab. Deu para conhecer, aproveitar tudo, voltar pro albergue, dormir e ir embora na manhã seguinte.
Como disse, era carnaval e a cidade estava abarrotada de turistas. Era dificil andar com tranquilidade por lá.
Valeu muito a pena conhecer Veneza. Um dia ainda volto para lá. Essa é uma cidade que você deve conhecer correndo o risco de que se não fizer, ela poderá desaparecer para sempre.
Esse risco já não corro mais...

Dicas:
- Procure ficar em hotel ou hostel na cidade vizinha, uma ou duas estações de trem antes de Veneza. São bem mais baratas e é o que todo mundo que conhece faz.
- Passe antes em um mercado e abasteça sua mochila com lanches e chocolates. As opções são muitas em Veneza, mas o bolso deve estar bem preparado;
- Em algumas épocas do ano a cidade enche de água, portanto não se assuste em molhar os sapatos;
- Um passeio de gôndola custa entre 80 e 100 euros;
- Há muitas lojinhas perdidas nas vielas com preços excelentes em colares e anéis de vidros Murano;
- Aliás, a ilha de Murano é do lado de Veneza. Vale a pena visitar;

No próximo post vou falar sobre Milão e Berna. Abraços a todos.

Eduardo Sona