Seguro

quarta-feira, 2 de março de 2011

Imigração européia. Não to falando de emprego não...

Vai pra onde heim ?
Aqui vai uma dica: quando planejar seu mochilão, pense em conhecer muito bem, no máximo, 2 países. Isso porque, cada vez que você entra e saí de um país é obrigado a passar pela imigração e alfândega.
Depois do último caso de atentado - daquele idiota que entrou com líquidos explosivos amarrados nos genitais - a vigilância ficou, digamos, um saco.
Em Madrid, no gigantesco aeroporto de Barajas, os guardas pedem para você tirar quase tudo. Botas, cintos, moedas, carteira, computadores são analisados um a um, passageiro por passageiro.
Vidrinhos ou tubos de creme com mais de 100 ml são imediatamente retirados de suas coisas e jogados no lixo. Viajar com uma garrafa de vinho ? esquece. Só se você despachar a garrafa dentro de sua mala e correr o risco de passar o resto da viagem cheirando vinho.
Tudo isso acontece depois que você já passou pelo martírio da imigração. Para se conseguir o visto, os policiais pedem e perguntam tudo: de onde veio, pra onde vai, tem dinheiro, quanto, como e por que ?
Depois de umas 10 perguntas, ele olha bem pra sua cara, pega o carimbo, dá um tempo teatral, olha de novo pra você e, finalmente, carimba o documento e te entrega o passaporte.  Nessa hora, até você que é inocente, se sente culpado de alguma coisa.