Seguro

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Dólar em alta e compras em baixa…

Em Londres, compre um cartão desse para economizar
no transporte público.

Pois é, pelo jeito, as preces da Presidenta Dilma foram ouvidas. Conseguiram dar uma brecada nas viagens e compras internacionais dos brasileiros. Com o dólar e outras moedas estrangeiras em alta, o brasileiro teve que repensar seus sonhos de conhecer as terras distantes além mar. As principais agências de viagens até que conseguiram salvar um bom volume de viagens congelando o dólar abaixo dos 2 reais nos pacotes e nas passagens aéreas. Mas, ao turista, sobrou a dura missão de segurar os gastos com o cartão de crédito. Meus queridos viajantes, nem tudo está perdido. Aí vão algumas dicas para economizar o seu rico dinheirinho e não matar o seu passeio.

Transporte público:
ao contrário do Brasil, em qualquer país da Europa ou dos Estados Unidos você pode andar tranquilamente de metrô ou ônibus. A maioria das grandes cidades européias possuí um sistema de transporte excelente e que te levará para todos os lugares, evitando andar de táxi. Uma outra dica importante são os bilhetes únicos para vários dias. Esse bilhete é voltado para turistas e você vai economizar muito.
Em Londres, por exemplo, você adquire em qualquer bilheteria do metrô um ticket pré-pago que poderá ser reabastecido a qualquer momento. Além disso, há pacotes de vários dias com desconto e, com esse mesmo ticket, será possível andar de ônibus também.

Translado do Aeroporto:
ao desembarcar em qualquer aeroporto europeu você terá inúmeras opções para ir para a cidade. Claro que o táxi é a opção mais cara. Alguns aeroportos possuem terminais interligados à linha de metrô e, todos, sem excessão, tem ônibus direto para o centro da cidade. Essa é a opção mais em conta. Em Roma, por exemplo, a saída dos ônibus é na rua lateral da Estação Roma Termini. Em Milão, na Itália, a mesma coisa. Para você ter uma idéia, uma corrida de táxi do Aeroporto de Lisboa até o Cais do Sodré custará por volta de 30 euros. A mesma viagem de ônibus, 6 euros.

Alimentação:
almoçar ou comer algum lanche próximo aos pontos turísticos sempre foi e será mais caro. Uma garrafa de água, que no mercado custará 50 centavos de euro, ao lado do Coliseo, em Roma, custará 2 euros. Um lanche comprado e montado no mercado custará a metade do preço do mesmo lanche saboreado ao lado da Torre Eifell. Pode parecer pouco, mas se você somar a economia obtida em todos os dias da viagem, o valor economizado será significativo. Nas minhas viagens dou preferência para os passeios e por experimentar novidades nos mercados. Costumo tomar um bom café no albergue, comprar minha garrafa de água no mercado e, durante a caminhada parar nas lojas e mercados para comprar chocolates, bolachas, salgados, etc. Depois de muito andar, costumo fazer a refeição no final do dia. 

Ingressos:
uma coisa legal que descobri é que, em muitos museus, jornalistas não pagam ingressos. O mesmo vale para professores e outros profissionais das áreas de comunicação, educação e turismo. Vale a pena ler detalhadamente as placas de orientação instaladas na entrada desses locais.

Compras:
acredite: todas as grandes cidades têm a sua Rua 25 de março. Além dessas lojas populares, há inúmeros outlets (lojas de fábrica) com ofertas tentadoras. Em Lisboa, por exemplo, há o Free Port, um dos maiores outlets da Europa. Em Paris, a região da Montmartre também tem coisas interessantes e de baixo custo. Claro que não são roupas de grife ou objetos caros, mas dependendo do interesse, boas lembranças poderão ser adquiridas nesses locais.

Supermercado:
Uma coisa é você encarar a viagem como turista. A outra é procurar, por alguns dias, vivenciar o dia-a-dia da cidade como um morador. Nessa mudança você poderá fazer uma bela economia. Supermercados podem ser encontrados em todos os lugares e não é raro, você tropeçar em marcas conhecidas como Walmart e Carrefour. Em Londres, a rede mais popular é a Tesco. Enfim, inclua o supermercado no seu roteiro pois nesses lugares você encontrará uma série de produtos com preços muito bons: chocolates, roupas, vinhos, etc.