Seguro

domingo, 4 de agosto de 2013

Paris agora fala o português.



A cidade de Paris está se tornando um das localidades turísticas mais visitadas por brasileiros. Graças às inúmeras promoções das companhias aéreas e aos pacotes turísticos parcelados à perder de vista, cada vez mais, o brasileiro quer matar a vontade de subir a Torre Eiffel, andar de barco no Rio Sena e fazer compras na Champs-Élysées. Se bem que essa última opção não é para todos os brasileiros, pois os preços são muito salgados.

Mas ir para Paris vale a pena em todos os sentidos: ela é considerada uma das cidades mais belas da Europa e é a que reúne os museus mais importantes da história da arte. Além disso, é um exemplo de cidade planejada e de fácil locomoção através de metrôs e ônibus.

É interesante notar que essa demanda de turistas brasileiros fez mudar o dia-a-dia do comércio parisiense. Não é díficil você ser atendido por vendedores brasileiros ou que falam o português. Nos últimos anos, as lojas da cidade, das mais simples à mais sofisticada, correram para oferecer um atendimento especial para os turistas brasileiros. E não é por menos: os brasileiros só perdem para os chineses no quesito "vamos a las compras".

Entre as centenas de atrações que a cidade oferece, algumas não podem deixar de serem citadas: Torre Eiffel, Arco do Triunfo, Museu do Louvre, Galeria Lafaiete, Moulin Rouge, Rio Sena, Catedral de Notre Dame, ufa… Claro que não listei nem a metade das atrações. Mas assim é Paris, uma cidade que, quando você acha que conseguiu ver tudo, sempre aparece algo a mais para conhecer.

No quesito gastronomia, a cidade é um paraíso. Doces e salgados nas mais variadas formas e cores mexem com a cabeça - e a gula - de qualquer um. Alguns doces, porém, são quase que obrigatórios você experimentar: crepe e eclair (a nossa famosa bomba de chocolate). Quanto aos pratos salgados eu nem arrisco a escolher o melhor. Deixo isso para você.

Deixo a sugestão para um roteiro enxuto de 4 dias na cidade:

Dia 1 - Torre Eiffel e arredores. Mesmo que o final da fila esteja na China, não deixe de subir até o topo da torre. Faça um passeio pelas ruas ao redor desse monumento. Na volta, dê uma esticadinha até o túmulo do Napoleão.

Dia 2 - Museu do Louvre, Praça da Concórdia. É um do lado do outro. O Museu do Louvre é gigantesco. Se você resolver conhecê-lo por inteiro, receio que você deverá morar por lá por um ano. Selecione as alas principais e vá conhecer as obras mais conhecidas. A Praça da Concórdia fica ao lado do Museu e, dela, você avista o Arco do Triunfo e a Champs-Élysées.

Dia 3 - Arco do Triunfo e Champs-Élysées - Depois de visitar o Arco, desça a Champs-Élysées e conheça as lojas das principais grifes do mundo. No final da avenida, à sua direita, você estará em frente aos dois palácios de vidro. Se tiver fôlego, vá passear de barco no Rio Sena à noite.

Dia 4 - Catedral de Notre-Dame, Sacré coeur e Pigalle - Prepare-se para andar. Comece o dia pela Catedral de Notre-Dame, a famosa catedral imortalizada pelo escritor Victor Hugo e seu livro "O corcunda de Notre Dame". Na sequência, pegue o metrô e vá até o outro lado da cidade e visite a lindíssima Catedral de Sacré Coeur (Sagrado Coração). Andando um pouco mais a pé, você estará no bairro boêmio do Pigalle, famoso pelo cabaré Moulin Rouge e pelos sex-shops.

Claro que esse é um roteiro muito enxuto. Há muito mais o que se ver na cidade ou ao seu redor como o excepcional Jardins de Monet, que fica na Normandia e a EuroDisney. Como eu disse, Paris é linda, misteriosa e vale a pena sonhar e se esforçar para algum dia conhecê-la. Nem que seja uma pequena parte.